Imprimir Página | Fechar Janela

Metrônomo - Como você o usa?

Impresso de: Batera.com.br
Categoria: Fóruns Públicos
Nome do Fórum: Aulas e Estudos
Descrição Fórum: Assuntos sobre aulas e estudos de bateria
URL: http://forum.batera.com.br/forum_posts.asp?TID=72218
Data da Impressão: 18/12/18 as 09:58


Tópico: Metrônomo - Como você o usa?
Postado Por: Magoo
Assunto: Metrônomo - Como você o usa?
Data de Publicação: 02/09/14 as 15:05
Olá pessoal,

Sabendo da importância da utilização do metrônomo, das dificuldades que muitas pessoas têm em acompanhá-lo e das inúmeras possibilidades de sua aplicação, abrimos este tópico para discutirmos esta formidável ferramenta.

Por favor, sintam-se à vontade em perguntar, dar dicas e falar sobre suas ideias e experiências!



Respostas:
Postado Por: Bal
Data de Publicação: 16/09/14 as 04:14
Dica: utilizar o metrônomo marcando em colcheia, por exemplo, ainda que a fórmula do compasso tenha a figura predominante em semínima. Isso colabora muito nas subdivisões; é uma ferramenta muito utilizada por Jojo Mayer e Benny Greb.

-------------
Mais um nordestino: Conceição do Coité, Bahia.


Postado Por: Magoo
Data de Publicação: 16/09/14 as 04:46
Com certeza, Bal! Utilizar o metrônomo em colcheias proporciona uma precisão mais apurada, principalmente em andamentos lentos. A meu ver, também exerce certa "influência" no groove ou fraseado. Muito legal isso!


Postado Por: Ezekiel
Data de Publicação: 16/09/14 as 21:10
Foram poucas as vezes em q usei o metrônomo, mas quando usava gostava de deixar marcando em colcheias e ia tocando usando tercinas ou sextinas, isso quando não "fugia" propositalmente do click pra treinar os atrasos e adiantamentos (tipo o Chambers). Com meus alunos eu uso pra td, principalmente para eles entenderem melhor a subdivisão.

-------------
Instagram: @ezequielalves12 segue lá ;)

https://www.youtube.com/user/Ezekielbatera


Postado Por: miguelmedvet
Data de Publicação: 17/09/14 as 02:49
Toco há um bom tempo mas ultimamente tenho tido uma certa dificuldade. Uso normalmente em seminima para ditar o andamento da música e da banda, mas se ocorrer um mínimo atraso ou aceleração minha e ou da banda o metronomo já não fica sincronizado e tenho que ignora-lo para não me atrapalhar. Não sei se consigui me fazer entender, mas resumindo se não seguir o metronomo com perfeição tenho que ignora-lo pois acaba atrapalhando mais do que ajudando. Onde estou errando? E


Postado Por: Ezekiel
Data de Publicação: 17/09/14 as 02:55
Olhando pelo lado do metrônomo, se o andamento for lento é melhor usar o click em colcheias para não perder o andamento. Mas se for com vc msm aumente o volume LOL LOL LOL LOL
Brincadeiras à parte, acho q se for o segundo caso aí só com treino. Lembro q ouvi do Sidão Pires uma vez q ele usava o metrônomo o dia inteiro. Ia correr, o metrônomo tava no ouvido, ia ler, tá lá o click no ouvido, ia estudar e o click tava no ouvido, enfim, o click ficava na orelha do sujeito o dia inteiro. Pode ser q isso te ajude tbm.


-------------
Instagram: @ezequielalves12 segue lá ;)

https://www.youtube.com/user/Ezekielbatera


Postado Por: Bal
Data de Publicação: 17/09/14 as 03:23
Acredito que uma grande dica, essa mais de efeito psicológico, é pensar o metrônomo não como um som fora da música, mas dentro dela. Que quero dizer: quando o guitarrista toca, por exemplo, imprimimos uma pulsação para acompanhá-lo.

Com o metrônomo deve ser o mesmo; devemos pensá-lo como um elemento integrante da música. Assim, ao invés de tocar "correndo" atrás do metrônomo, como muitos fazem, devemos tocar junto.

Isso pode parecer apenas bolodoro - conversa fiada -, mas, muitas vezes, o desentendimento com o metrônomo ocorre justamente por faltar a interiorização dessa percepção de que falo. Passei muito tempo nessa situação, quando um belo dia entendi que eu toco junto com o metrônomo, não correndo atrás dele.

-------------
Mais um nordestino: Conceição do Coité, Bahia.


Postado Por: Ezekiel
Data de Publicação: 17/09/14 as 03:39
Isso teria a ver com acompanhar a linha do baixo tbm Bal? pq quando não tem o click eu vou pela linha do baixo pq o cubo fica sempre perto do batera. Pra falar a verdade, ultimamente eu tenho treinado tanto com o metrônomo q às vezes nem ouço o click mais de tão em cima q eu tô conseguindo tocar LOL LOL LOL LOL

-------------
Instagram: @ezequielalves12 segue lá ;)

https://www.youtube.com/user/Ezekielbatera


Postado Por: Bal
Data de Publicação: 17/09/14 as 03:51
Originalmente postado por Ezekiel Ezekiel escreveu:

Isso teria a ver com acompanhar a linha do baixo tbm Bal? pq quando não tem o click eu vou pela linha do baixo pq o cubo fica sempre perto do batera. Pra falar a verdade, ultimamente eu tenho treinado tanto com o metrônomo q às vezes nem ouço o click mais de tão em cima q eu tô conseguindo<span style="line-height: 16.7999992370605px;"> tocar </span>LOL<span style="line-height: 16.7999992370605px;"> </span>LOL<span style="line-height: 16.7999992370605px;"> </span>LOL<span style="line-height: 16.7999992370605px;"> </span>LOL


Também está relacionado com o baixo, sem sombra de dúvida. A guitarra foi só um exemplo.

Acredito que muitos músicos não compreendem bem a ideia do metrônomo: não é apenas manter a música em padrão linear de tempo - o que já é uma grande função -, mas, acima de tudo, é criar uma pulsação.

Tocar em cima do click, como você vem fazendo, é um sinal disso: de que a pulsação foi interiorizada e você está tocando com o metrônomo, não atrás dele.

Se uma pessoa começa a estalar os dedos ao nosso lado, de uma maneira constante, em um espaço de tempo equânime, tendemos a colocar alguma música no meio desses estalos. Buscamos a pulsação e criamos sobre isso. O metrônomo é esse mesmo estalo, porém, com o intervalo de tempo próximo do invariável.

-------------
Mais um nordestino: Conceição do Coité, Bahia.


Postado Por: Magoo
Data de Publicação: 17/09/14 as 05:11
Perfeito, Bal!!! Esse conceito de ter o metrônomo como um "integrante da banda" é muito legal. Como você disse, desta maneira não brigamos com ele e sim tocamos junto com ele.

Miguelmedvet, uma coisa que ocorre bastante, é dos outros músicos pensarem que somente o baterista é responsável pelo andamento. Todos devem ter este tipo e "relacionamento musical" com a pulsação (metrônomo), como foi falado acima.

Outra coisa que é importante salientar é que, quando a banda opta por usar click nas suas apresentações, a atenção dela em relação ao baterista deve ser "redobrada". Quando tocamos sem o metrônomo, (obviamente) o baterista está livre para correr ou atrasar de acordo com a banda. Mas, com o click, é a banda que precisar "se voltar" para ele.

Converse com pessoal da sua banda, Miguelmedvet... para que eles "prestem mais atenção" em você.

Comigo aconteceu algo assim. Fui contratado para uma apresentação de samba. Na introdução do show, tinha uma trilha programada com teclado e efeitos... o cara do surdo saiu disparado como um trem... minha única opção foi desligar a trilha, já nos primeiros compassos... o correto seria ele ter prestado atenção em mim (que estava com o click)... ainda mais com um instrumento como o surdo, que tem uma função importantíssima na pulsação...

Bem, é isso aí... vou gravar um vídeo falando de algumas ideias de utilização do metrônomo... algo simples... nenhuma fórmula mágica... mas algo que ilustre e ajude quem não tem "intimidade" com esta ferramenta maravilhosa.

Abraço, galera!


Postado Por: Ezekiel
Data de Publicação: 17/09/14 as 15:56
Originalmente postado por Magoo Magoo escreveu:

Perfeito, Bal!!! Esse conceito de ter o metrônomo como um "integrante da banda" é muito legal. Como você disse, desta maneira não brigamos com ele e sim tocamos junto com ele.

Miguelmedvet, uma coisa que ocorre bastante, é dos outros músicos pensarem que somente o baterista é responsável pelo andamento. Todos devem ter este tipo e "relacionamento musical" com a pulsação (metrônomo), como foi falado acima.

Outra coisa que é importante salientar é que, quando a banda opta por usar click nas suas apresentações, a atenção dela em relação ao baterista deve ser "redobrada". Quando tocamos sem o metrônomo, (obviamente) o baterista está livre para correr ou atrasar de acordo com a banda. Mas, com o click, é a banda que precisar "se voltar" para ele.

Converse com pessoal da sua banda, Miguelmedvet... para que eles "prestem mais atenção" em você.

Comigo aconteceu algo assim. Fui contratado para uma apresentação de samba. Na introdução do show, tinha uma trilha programada com teclado e efeitos... o cara do surdo saiu disparado como um trem... minha única opção foi desligar a trilha, já nos primeiros compassos... o correto seria ele ter prestado atenção em mim (que estava com o click)... ainda mais com um instrumento como o surdo, que tem uma função importantíssima na pulsação...

Bem, é isso aí... vou gravar um vídeo falando de algumas ideias de utilização do metrônomo... algo simples... nenhuma fórmula mágica... mas algo que ilustre e ajude quem não tem "intimidade" com esta ferramenta maravilhosa.

Abraço, galera!

Só fico pensando como seria se fosse cmg. Acho q eu ia sair da batera e enfiar o surdo na cabeça desse doente LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL LOL
Cmg aconteceu algo parecido mas não foi com batera, foi na fanfarra q eu toco (ainda LOL). Eu toco o instrumento de mais destaque (e até mais importância acredito eu), e uma menina q tocava prato começou a correr no meio da música. Conclusão: fiz a galera inteira atrasar só de sacanagem pra ela perceber a cagada, como era só um ensaio não deu rolo nenhum depois LOL LOL


-------------
Instagram: @ezequielalves12 segue lá ;)

https://www.youtube.com/user/Ezekielbatera


Postado Por: Magoo
Data de Publicação: 17/09/14 as 18:14
Ezekiel, eu não podia fazer isso porque era contratado da banda, mas deu vontade mesmo!! hehe


Postado Por: Matheus Arantes
Data de Publicação: 18/09/14 as 05:55
"devemos pensá-lo como um elemento integrante da música. Assim, ao invés de tocar "correndo" atrás do metrônomo, como muitos fazem, devemos tocar junto."       

ClapClapClapClapClapClap

É isso aí Bal! Desde quando entendi isso MUITA coisa melhorou no meu relacionamento com o Metronomo!


Postado Por: chrisoyens
Data de Publicação: 22/09/14 as 23:07
O maior aproveitamento que tive com o metrônomo para mim foi de me gravar constantemente enquanto eu o escutava nos fones, mas sem registrá-lo na gravação. Tocava as mesmas levadas e viradas, mas com 3 interpretações diferentes. 1. tentando tocar um pouco à frente do click. 2. tentando tocar um pouco atrás do click. 3 tentando tocar cravado (bem em cima) do click.

Isto me ajudou muito depois nos meus trabalhos em estúdio. Pois se alguém falava que queria a música mais relaxada eu usava a interpretação 2 acima. Se alguém falava que a gravação precisava de mais energia eu utilizava a interpretação 1. É importante dominar estes aspectos para não nos viciarmos em apenas uma forma de tocar tudo.


Postado Por: Magoo
Data de Publicação: 23/09/14 as 00:25
Perfeito, Chris!


Postado Por: RDrummer
Data de Publicação: 23/09/14 as 02:32
Nunca deixe ele fora da rotina musical! Tem um vídeo do Cuca Teixeira muito bom, onde ele fala das subdivisões, e com o exercício de usar o metrônomo, entende-se muito bem o que ele tá dizendo.

-------------
Sou Nordestino com orgulho! São Luís - MA.


Postado Por: Ezekiel
Data de Publicação: 23/09/14 as 03:11
Originalmente postado por chrisoyens chrisoyens escreveu:

O maior aproveitamento que tive com o metrônomo para mim foi de me gravar constantemente enquanto eu o escutava nos fones, mas sem registrá-lo na gravação. Tocava as mesmas levadas e viradas, mas com 3 interpretações diferentes. 1. tentando tocar um pouco à frente do click. 2. tentando tocar um pouco atrás do click. 3 tentando tocar cravado (bem em cima) do click.

Isto me ajudou muito depois nos meus trabalhos em estúdio. Pois se alguém falava que queria a música mais relaxada eu usava a interpretação 2 acima. Se alguém falava que a gravação precisava de mais energia eu utilizava a interpretação 1. É importante dominar estes aspectos para não nos viciarmos em apenas uma forma de tocar tudo.

Como sempre o Chris nos ensinando algo valioso, tá aí um estudo q eu nunca tinha visto antes. Vc fazia isso com qualquer levada ou era só em levadas básicas Chris? pq tem músicas q eu pelo menos toco q ela já "foge" do click normalmente. Isso funcionaria para músicas mais bem marcadas ou vale tbm para aqueles funk's de dar nó no cérebro?


-------------
Instagram: @ezequielalves12 segue lá ;)

https://www.youtube.com/user/Ezekielbatera


Postado Por: chrisoyens
Data de Publicação: 23/09/14 as 21:46
Originalmente postado por Ezekiel Ezekiel escreveu:

 Vc fazia isso com qualquer levada ou era só em levadas básicas Chris? pq tem músicas q eu pelo menos toco q ela já "foge" do click normalmente. Isso funcionaria para músicas mais bem marcadas ou vale tbm para aqueles funk's de dar nó no cérebro?

Sim com levadas simples, pois com coisas complicadas a gente fica mesmo variando demais o andamento e como reagimos em relação ao click. Este estudo é para levadas básicas e viradas bem funcionais. Tocar cravado com bateristas é também uma maneira de trabalhar isto (além de claro, entender melhor os estilos respectivos de cada um). Um exemplo: tocar junto com Steve Gadd (suas gravações mais comerciais tipo Steely Dan, etc...) e Jeff Porcaro para entender como tocar pra trás e Stewart Copeland com The Police como exemplo de como tocar mais pra frente. Agui no Brasil posso citar o Paulo Braga e Carlos Bala como ótimos exemplos de tocar bem relaxados em relação aos grooves e o João Barone como alguém que toca bem agulhado com o click. Todos bateristas incríveis, cada um com sua interpretação de tempo e sentimento.


Postado Por: t1000
Data de Publicação: 24/09/14 as 19:44
Falar em Metrônomo me dá calafrios . Dominá-lo é um desafio a parte !


Postado Por: ApAZiN
Data de Publicação: 28/01/15 as 18:43
Eu tenho uma dúvida para usa-lo ao vivo com banda;

Toda a banda tem que estar ouvindo o metronomo? ou só o baterista?

Tem casos em que a música inicia pelo Guitarrista ou pelo baixista groovando; Seria o caso de o baterista ter que ficar marcando o tempo do inicio ao fim da música sem parar?

E o que fazer quando a música tem que mudar de andamento?

Exemplo: Começa em 190 bpm e frases com 210 bpm


Postado Por: Matheus Arantes
Data de Publicação: 29/01/15 as 19:28
Originalmente postado por ApAZiN ApAZiN escreveu:


Toda a banda tem que estar ouvindo o metronomo? ou só o baterista?


Cara TODA BANDA inclusive o CANTOR/VOCALISTAS... Afinal o metronomo é de utilidade geral... Nao é só o batera q ta sujeito a adiantar ou atrasar o andamento da musica!
Eu atualmente toco pra um cantor sertanejo aki no Espirito Santo, e no ano passado o violonista que tocava com agente era muito bom... Maaaaaaaaaaas se soltar ele sozinho ele vai parar nos EUA... LOL  Ele é um puta musico mas nao sei oq acontece com ele... Se ele empolga... Sei la... Sei q ele corria pra c... kkkkkkk
Só pra constar, sempre q da eu converso com o Caio Calie (Batera do Eduardo Costa) e eu tbm perguntei isso a ele, e ele me respondeu que la no Eduardo Costa TODOS tem o click no ouvido, todos, todos, todos! 
Grande abç pro Caio Caliel, por que além de um EXCELENTE MUSICO, é um exemplo de humildade! Clap


Postado Por: t1000
Data de Publicação: 29/01/15 as 22:47
Originalmente postado por Bal Bal escreveu:

Acredito que uma grande dica, essa mais de efeito psicológico, é pensar o metrônomo não como um som fora da música, mas dentro dela. Que quero dizer: quando o guitarrista toca, por exemplo, imprimimos uma pulsação para acompanhá-lo.

Com o metrônomo deve ser o mesmo; devemos pensá-lo como um elemento integrante da música. Assim, ao invés de tocar "correndo" atrás do metrônomo, como muitos fazem, devemos tocar junto.

Isso pode parecer apenas bolodoro - conversa fiada -, mas, muitas vezes, o desentendimento com o metrônomo ocorre justamente por faltar a interiorização dessa percepção de que falo. Passei muito tempo nessa situação, quando um belo dia entendi que eu toco junto com o metrônomo, não correndo atrás dele.



Esse sabe muito !


Postado Por: Bal
Data de Publicação: 30/01/15 as 01:41
Originalmente postado por t1000 t1000 escreveu:

Originalmente postado por Bal Bal escreveu:

Acredito que uma grande dica, essa mais de efeito psicológico, é pensar o metrônomo não como um som fora da música, mas dentro dela. Que quero dizer: quando o guitarrista toca, por exemplo, imprimimos uma pulsação para acompanhá-lo.

Com o metrônomo deve ser o mesmo; devemos pensá-lo como um elemento integrante da música. Assim, ao invés de tocar "correndo" atrás do metrônomo, como muitos fazem, devemos tocar junto.

Isso pode parecer apenas bolodoro - conversa fiada -, mas, muitas vezes, o desentendimento com o metrônomo ocorre justamente por faltar a interiorização dessa percepção de que falo. Passei muito tempo nessa situação, quando um belo dia entendi que eu toco junto com o metrônomo, não correndo atrás dele.



Esse sabe muito !


Pois é, experiência própria, grande David. Depois que interiorizei essa lógica, as coisas ficaram melhores.

-------------
Mais um nordestino: Conceição do Coité, Bahia.


Postado Por: viniciusnunez
Data de Publicação: 03/04/15 as 06:38
Tem um metrônomo muito bom para Android que vem com uma opção que vai, aleatoriamente, deixando ele mudo por alguns instantes. É muito legal treinar com ele. Aliás, o aplicativo chama Time Guru. Abraços.

-------------
Vinicius Núñez. Prof. de Bateria na Z/L de São Paulo e pelo Skype (viniciusnunez).


Postado Por: viniciusnunez
Data de Publicação: 03/04/15 as 06:46
Um treino legal é você colocar ele num andamento devagar e utilizar o clique só para marcar o primeiro tempo do compasso. Depois você pode mudar a fórmula de compasso, sem mudar o clique, e ele vai deslocando. É um jeito, muito divertido aliás, de se concentrar no andamento, além de outras coisas. Abraços.

-------------
Vinicius Núñez. Prof. de Bateria na Z/L de São Paulo e pelo Skype (viniciusnunez).


Postado Por: aboth
Data de Publicação: 06/04/15 as 15:42
Na verdade nunca usei metrônomo principalmente em show ao vivo, mas também a minha banda toca em alguns bares mas amadoramente, quem sabe quando a gente gravar músicas próprias provavelmente todos terão que usar o clic.


Postado Por: erickson05
Data de Publicação: 06/04/15 as 23:54
Estou quebrando a cabeça tentando introduzir o metrônomo na minha banda, mas é difícil, os caras não estudam com ele, e o meu treino com o metrônomo não serve de nada com a banda. Mesmo assim não deixo de treinar e tirar músicas com ele. Para quem esta começando agora e ainda não tenha tido contato com o metrônomo, te digo para estudar com ele já, o quanto antes. Aliás, como nossos amigos sitaram acima, todo músico deve tocar com metrônomo. Temos ótimos professores aqui no forum, e tenho certeza que além dessas dicas que já foram dadas neste tópico a galera aqui tem a maior boa vontade de responder qualquer tipo de duvida ou curiosidade. 


Postado Por: rmbarion
Data de Publicação: 07/07/15 as 03:36
Fiquei muitos anos sem usar metronomo. com a minha banda tocavamos em boa sintonia eu e o guita. Mas na hora de gravar um album com a a banda usei metronomo e foi bem complicada a gravação, haha. Agora uso metronomo direto.
o fato de só o batera usar metronomo realmente não é uma boa. Ao invés do batera gravar escutando a guitarra e o metronomo juntos, seria melhor se o guitarrista gravasse só com o metronomo e depois a gravação da bateria escutando só a guita. até pq o volume do metronomo na hora de gravar é muito alto.
e só uma obs sobre a questão do andamento. não é necessário mudar a velocidade do metronomo no meio da musica, o que vai acontecer é vc  colocar mais notas dentro do compasso. muda o compasso mas não o metronomo. 


Postado Por: igorbp
Data de Publicação: 27/11/17 as 16:22
Fala man, tudo bem?

Obrigado por abrir este espaço pra gente falar sobre metrônomo, realmente eh muito importante!

Nesse texto eu falo um pouco sobre o assunto:  http://www.blogdobaterista.com.br/metronomo/" rel="nofollow - http://www.blogdobaterista.com.br/metronomo/

Depois, se quiser comentar lá, fique a vontade!

Abs.

TKS!


-------------
Igor Botelho
www.blogdobaterista.com.br


Postado Por: DanDrums
Data de Publicação: 19/01/18 as 19:02
Opa, boa noite!

Seguinte sou iniciante, e estou com uma dúvida em relação aos bpms.

Fiz minha segunda aula de batera antes de ontem e o professor passou uns exercícios em semínima bem simples, consigo fazer certinho, até porque é bem simples mesmo hehe.

Mas a questão é: Como eu subo os bpms gradativamente? Por exemplo, se eu to fazendo o exercício em 86bpm, eu vou subindo 1bpm por 1bpm mesmo ou 5 em 5 ou 10 em 10?

Desde já grato.


-------------
Follow your heart and your dreams, don't follow the sheep.


Postado Por: Fernando.Soares
Data de Publicação: 19/01/18 as 19:34
Eu curtia ir direto ao extremo.

Subia o bpm até onde não comprometesse a qualidade da execução.

Quando se está iniciando, esse limite pode ser bem proximo do bpm que voce usa regularmente nos exercícios. Com o tempo essa distância aumenta gradativamente.

Mas treinar devagar trás resultados mais consistentes. Recomendo manter o bpm baixo na maior parte do estudo e no fim dar uma aumentada na velocidade pra ir conhecendo e expandindo seus limites.

Bem vindo ao maravilhoso mundo das baquetas.

Abraço!


Postado Por: Bolacha
Data de Publicação: 19/01/18 as 21:48
Originalmente postado por DanDrums DanDrums escreveu:

Opa, boa noite!

Seguinte sou iniciante, e estou com uma dúvida em relação aos bpms.

Fiz minha segunda aula de batera antes de ontem e o professor passou uns exercícios em semínima bem simples, consigo fazer certinho, até porque é bem simples mesmo hehe.

Mas a questão é: Como eu subo os bpms gradativamente? Por exemplo, se eu to fazendo o exercício em 86bpm, eu vou subindo 1bpm por 1bpm mesmo ou 5 em 5 ou 10 em 10?

Desde já grato.

Como você está no começo e é importante não pegar vícios nessa hora, vá de 1 em 1 bpm


-------------


Postado Por: Fernando.Soares
Data de Publicação: 19/01/18 as 22:14
Hahaha

Nunca, jamais consegui manter tanta disciplina.

Isso explica minha tosquice kkkkkkk


Postado Por: DanDrums
Data de Publicação: 19/01/18 as 22:33
Grato pelas respostas, inclusive bem rápidas! 

Certo... quero tentar fazer o mais certo possível, porque quero pegar as manhas muito bem, batera é uma das poucas coisas que realmente quero ter excelência um dia nessa vida.

Vou seguir o conselho do Professor Gilmar, vou ir de 1 em 1 então.

Valeu galera!!!


-------------
Follow your heart and your dreams, don't follow the sheep.


Postado Por: Bolacha
Data de Publicação: 19/01/18 as 22:40
No meu início, eu era bastante afoito e já subia 10 ou 15 bpms, de certa forma rolava, mas eu ficava cansado rápido e a execução não ficava limpa. Quando comecei a reeducar a mão esquerda com traditional grip, daí fui de 1 em 1 bpm e a evolução foi bem mais legal e firme. Agora to reeducando a direita hehe.

-------------


Postado Por: Marcos Abreu
Data de Publicação: 22/01/18 as 00:05
Nossa, como funciona esse negócio de tocar atrás e na frente do click???


Postado Por: fezes
Data de Publicação: 22/01/18 as 20:12
Originalmente postado por Marcos Abreu Marcos Abreu escreveu:

Nossa, como funciona esse negócio de tocar atrás e na frente do click???

Marcos, este vídeo vai te explicar exatamente isso. Ouça com fone

https://youtu.be/WuAa5VrWfDw

-------------
"Como pode a propaganda ser a alma do negócio, se esse negócio que engana não tem alma"


Postado Por: Czar90
Data de Publicação: 06/02/18 as 04:23
Fala pessoal! 
Seguinte, estive fazendo algumas gravações, coisa simples, apenas com um mic over para uma demo. Durante o processo, houve uma discussão sobre o quanto cada nota deve estar cravada sobre o click. Ouvindo ela (mesmo com o click acompanhando) as oscilações eram praticamente imperceptíveis, mas observando na pista do ProTools vc podia ver certas irregularidades, que no meu caso, costumam ser um atraso minimo logo antes do click.
Sabe-se que existem bateras que possuem essa característica propositalmente, de tocar levemente atras do tempo ("in the pocket" como chamam), como o Dennis Chambers, ou o John Bonhan. Ou mais acelerados como o Stewart Copeland.
Mas a questão é, até que ponto é aceitável essa oscilação em relação ao click? Como ela pode prejudicar, ou contribuir com a gravação? 

Abraços!



Postado Por: Ezekiel
Data de Publicação: 06/02/18 as 10:16
Te respondo com outra pergunta: qual é a proposta da música que vc está gravando? vc citou caras como Dennis, Bonham, Copeland, Steve Gadd faz isso descaradamente (e ganhou uma fortuna gravando assim), porém era uma característica que quem os contratava buscava exatamente aquilo. O próprio Dennis disse em uma vídeo aula que com algumas pessoas ele tocava cravado pq achavam estranho quando ele oscilava no tempo, dava um certo desconforto aos outros. Vinnie Colaiuta costuma fazer umas brincadeiras (maldosas por sinal LOL) desse tipo deslocando acentuação no hat ou modulando a métrica msm, mas somente quando tem espaço pra isso, que foi o caso de uma gravação recente dele pra uma cantora chamada Mili, por outro lado ele gravou uma música do Roberto Carlos que uma criança de 10 anos tocaria tranquilo pela simplicidade.
Concluindo, dependendo do estilo e proposta da música essa oscilação vai prejudicar (e muito) o resultado final, pq quando se edita uma bateria (e toda gravação a bateria é editada) não dá pra editar linha por linha, quando arruma uma caga a outra pq vem td junto. O ideal é treinar pra tocar o mais cravado possível no click e depois ir treinando as oscilações.


-------------
Instagram: @ezequielalves12 segue lá ;)

https://www.youtube.com/user/Ezekielbatera


Postado Por: Régis- Reativa
Data de Publicação: 06/02/18 as 14:12
Cara hoje em dia tocar com metronomo é super natural para mim. Como já disseram levo ele como parte da musica mesmo, dita o ritmo de minha batida. Inicialmente comecei a usar metronomo apenas nas gravações de minhas bandas. Hoje em dia toco em uma banda cover do U2, então boa parte das músicas tocamos junto com sample, então no meu retorno escuto o metronomo. E as músicas que não tem sample toco com metronomo também devido ao delay do guitarrista. Ou seja passo as 2h de show com o metronomo na cabeça. Toco cravado com o metônomo em seminima. Toco usando um power click com dois canais. Como tudo na vida, tudo é questão de pratica, começa a usar metronomo que daqui a pouco a pessoa nem percebe mais, de tão natural que fica. 


Postado Por: Czar90
Data de Publicação: 06/02/18 as 20:18
Valeu pela força! Imaginei que ia surgir essa duvida sobre o estilo do nosso som Ezekiel. A gente faz um blues rock swingado, com elementos de funk, então acho q se enquadra nesse estilo "Chambers" de tocar, na minha opinião acho q da um tempero interessante. Claro que muitos estilos como pop, rock (U2 como foi citado), entre outros, exige mesmo essa exatidão na cabeça do tempo, inclusive muita gente grava em loop.
Acredito que temos que saber nos virar em ambas situações, cravado no beat ou explorando essas oscilações, de maneira consciente e sempre praticando com o metrônomo.
 
Abs!


Postado Por: Ezekiel
Data de Publicação: 07/02/18 as 07:20
Originalmente postado por Czar90 Czar90 escreveu:

Valeu pela força! Imaginei que ia surgir essa duvida sobre o estilo do nosso som Ezekiel. A gente faz um blues rock swingado, com elementos de funk, então acho q se enquadra nesse estilo "Chambers" de tocar, na minha opinião acho q da um tempero interessante. Claro que muitos estilos como pop, rock (U2 como foi citado), entre outros, exige mesmo essa exatidão na cabeça do tempo, inclusive muita gente grava em loop.
Acredito que temos que saber nos virar em ambas situações, cravado no beat ou explorando essas oscilações, de maneira consciente e sempre praticando com o metrônomo.
 
Abs!

Exatamente. Pra mim o que vale no final das contas é o sentimento, sempre vi nesses caras que eles tocam o que sentem, como se tivesse saindo da emoção ao invés da razão (tá meio meloso isso aqui mas não tenho outra forma de explicar LOL LOL). Tem uma gravação que o lendário Steve Gadd fez em 77 que até hj é surpreendente pela simplicidade das linhas da bateria e o solo matador do vovô Gadd (sem falar no timbre da batera que pra mim é uma maravilha LOL).


Por outro lado temos tbm Vinnie Colaiuta destruindo qualquer noção de tempo nessa apresentação de 18 anos atrás (a brincadeira começa lá pros 6:00).


Enfim, vai muito do estilo e se a banda consegue se virar no tempo sem ter a bateria como referência pq dependendo da situação um "atraso" bobo pode tirar qualquer um do tempo e aí a treta tá plantada LOL LOL
Abs.


-------------
Instagram: @ezequielalves12 segue lá ;)

https://www.youtube.com/user/Ezekielbatera


Postado Por: Marcos Abreu
Data de Publicação: 08/07/18 as 19:06
Originalmente postado por fezes fezes escreveu:

Originalmente postado por Marcos Abreu Marcos Abreu escreveu:

Nossa, como funciona esse negócio de tocar atrás e na frente do click???

Marcos, este vídeo vai te explicar exatamente isso. Ouça com fone

https://youtu.be/WuAa5VrWfDw


Depois de muito tempo, só agora vi o vídeo... Valeu


Postado Por: jpsbatera
Data de Publicação: 26/09/18 as 22:35
Olá Amigo batera!  No início é isso mesmo, dá medo dele, mas com o tempo você vai preferir tocar com ele do que sem! rsrs...  Tenho um video com uma dica para estudar com metronomo utilizando toque duplos, se tiveres interesse o link é esse.

https://www.youtube.com/watch?v=n9b1a6lsJAg 

Grande abraço e bons estudos!



Imprimir Página | Fechar Janela