Imprimir Página | Fechar Janela

Por quê a Dw é a Dw ?

Impresso de: Batera.com.br
Categoria: Fóruns Públicos
Nome do Fórum: Review do Usuário
Descrição Fórum: Deixe sua opinão sobre os produtos que utiliza ou utilizou
URL: http://forum.batera.com.br/forum_posts.asp?TID=53856
Data da Impressão: 24/06/19 as 18:38


Tópico: Por quê a Dw é a Dw ?
Postado Por: PIZZA
Assunto: Por quê a Dw é a Dw ?
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:03

Pessoal,

 

De tempos em tempos volta à tona essa discussão sobre a DW. Alguns dizem que é a melhor do mundo, enquanto outros defendem com unhas e dentes suas Yamaha's, Tama's, Pearl's, enquanto outros ainda afirmam que nada justifica preço de uma DW, que se paga somente o preço da marca. Eu discordo totalmente!

 

Depois de ler esse post, tenho certeza que você vai concluir que o preço não é decorrente da marca, mas sim da excelência do produto. A marca, por óbvio, faz parte do preço de qualquer instrumento, até mesmo dos menos nobres, mas nesse caso, não é a "marca" que torna o instrumento pouco accessível, mas sim a quantidade de tecnologia e requinte investidos no instrumento. Eu não conheço outra bateria que tenha tanta tecnologia empregada.

 

Existe nisso tudo uma questão cultural muito interessante. Os japoneses são conhecidos pela sua tecnologia. As 3 bateras japonesas que eu citei (Yamaha, Tama e Pearl) são responsáveis por inúmeros avanços tecnológicos na construção de baterias, principalmente nos anos 60 e 70. Enquanto isso, os americanos (Ludwig, Slingerland, Rogers e Gretsch*) eram muito tradicionalistas e mudavam muito pouco na forma de construir baterias, se comparado com os japoneses.

 

*P.S. Nesse grupo eu incluo, ainda, a Premier e a Sonor, que são os expoentes europeus, mas que sempre calcaram a forma de construir baterias nos padrões norte americanos.

 

O grande responsável por essa mudança nos EUA foi a DW, que adotou uma filosofia semelhante a dos japoneses, quanto mais tecnologia pudermos agregar ao nosso instrumento, melhor ele será.

 

Vamos desmistificar isso e explicar porque uma DW é uma DW. Não quero causar polêmica e nem desmerecer outros fabricantes. A finalidade desse tópico é tão somente passar informação aos que não conhecem (que não tem saco de ler na internet ou não falam inglês). Vou tentar dissecar a tecnologia e o requinte que existe na construção de uma DW. Penso que com essas informações, muitos irão entender melhor porque esse instrumento é tão cobiçado e faz parte dos sonhos de tantos bateristas.

 

Espero que esse tópico seja e esclarecedor e, mais uma vez, não quero desmerecer nenhum outro fabricante. Sou DW até de baixo d'água, mas também gosto muito de outras baterias. A Ludwig por exemplo, que é super tradicionalista, não tem metade dessa tecnologia e continuo achando ela uma das melhores baterias do mundo.

 

Vamos lá:

 

 

1 - Cascos

 

Atualmente a DW produz uma série de cascos diferentes. Mas vou falar somente da Collector Series Maple, que é o preferido de 90% dos clientes da DW.

 

Afinação: Além da certeza de procedência e seleção rigorosa da madeira, após a confecção dos cascos eles são separados por afinação. Ou seja, é identificada a nota fundamental de cada casco que é marcada com um carimbo na parte interna e, posteriormente, na montagem de um kit são utilizados somente cascos que formem uma espécie de escala musical.

 

Quando se encomenda um tom avulso, a DW pede as notas fundamentais dos seu tambores para que seja escolhido o tom com a nota mais adequada para o seu kit.

 

Catalogação: Além da marcação da nota fundamental, todos os tambores são marcados internamente com a data de nascimento e com o número de série do kit. Isso também serve para que se posso confirmar que não houve alteração no kit.

 

Bordas ESE: O lixamento das bordas dos tambores também é diferente. As bordas são em 45 graus e podem ser em forma de V, ou seja, iguais dos dois lados. Isso faz que o contato do casco com a pele seja menor e, consequentemente, se produza mais ressonância.

 

Cascos Finos com Anéis de Reforço: Para proporcionar um som bastante grave, os cascos da DW Collectors são bem finos. Aproximadamente 4,5 mm nos tons e 6 mm no bumbo. Os anéis de reforço encontrados nas extremidades dos cascos tem duas funções. Primeiro, por ser um casco muito fino, os anéis dão firmeza ao casco para ele não quebrar e, em segundo, os anéis ajudam a controlar o excesso de ressonância. As lâminas de madeira usadas pela DW são 0,2 mm mais finas que as convencionais, o que permite utilizar um maior número de folhas na confecção de um casco fino.

 

VLT: Tradicionalmente cascos de baterias são feitos com lâminas cortadas na horizontal. Contudo, a DW passou a utilizar lâminas cortadas na vertical para os surdos e bumbos, com a finalidade de projetar mais graves nesses tambores. Existe, ainda, a possibilidade de se encomendar uma bateria inteira com cascos VLT.

 

2 - Aros

 

Os aros também fazem parte da afinação da bateria. Diferentemente de uma bateria convencional, em que todos os aros possuem a mesma espessura. A DW fabrica uma espessura de aro para cada tom. O aro representa massa em contato com o tambor, o que gera alterações na ressonância, por isso os aros devem ser proporcionais à medida de cada tambor.

 

A DW fabrica aros die cast, que são opcionais. Contudo, a própria DW não recomenda o uso de aros die cast em seus tambores.

 

3 - Canoas e Parafusos (True Pitch)

 

Além do design inovador das canoas da DW, que se tornou uma grande marca, existe bastante tecnologia dentro dela. Os parafusos de afinação e as roscas internas possuem o dobro de secções que o convencional. Consequentemente, a afinação dos tambores é muito mais precisa e mais difícil de perder a afinação.

 

 

4 - Suspensão

 

O sistema de suspensão de tons da DW (STM) proporciona o menor contato possível com o tambor, isso é para que o mesmo possa produzir mais ressonância. A suspensão é presa ao tambor através de 4 anéis emborrachados que se acoplam ao tambor no contorno das canoas.

 
 

5 - Peles

 

Como as peles também contribuem significativamente para o resultado sonoro de uma batera, a DW desenvolveu em parceria com a REMO as peles DW by REMO. Outros fabricantes colocam no mercado suas baterias com peles fabricadas pela REMO e pela EVANS, que na verdade são algum modelo das linhas convencionais, mas a única que tenho notícias de que desenvolveu uma pele exclusiva para suas baterias é a DW.

 

Essas peles, inclusive, não são vendidas pela REMO, mas somente pela DW.

 
 

6 - Ferragens

 

Não teria como dissecar todos os aspectos inovadores das ferragens da DW, que são notórios no meio da bateria.

 

7 - Acabamento

 

São os mais lindos e mais bem feitos que já vi!

 
Para o deleite:
 
DW Collector's Series:
 
 
 
 
 
 
DW Jazz Series:
 
 
 
DW Classic Series:
 
 
 
DW ECO-X:
 
 
DW Snare Edges:
 
 
 
Enfim, espero que esse post tenha sido esclarecedor! Acredito sinceramente que muita gente vai mudar de opinião sobre achar que uma DW não vale quanto pesa.

 

Abs,

 

Pizza



-------------
Rec & Mix
sua revista eletrônica de gravação e mixagem
http://www.recandmix.com" rel="nofollow - http://www.recandmix.com

www.twitter.com/recandmix
www.facebook.com/recandmix



Respostas:
Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:09
Meu set
 


Postado Por: RaulSantana
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:15
Deu uma aula de DW, ehauheClap

-------------




Postado Por: apLuck
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:23
Pow, muito legal isso! Bastante técnologia empregada mesmo. É, sem dúvidas, um baaaita de um instrumento!
Pena que aqui no Brasil, ela quase dobra o preço (malditos impostos ¬¬) e foge totalmente da realidade de 95% dos músicos daqui. Lá fora, o preço é muito mais justo.

-------------


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:24
Nesse ponto eu concordo. O problema tá aqui!


Postado Por: RaulSantana
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:27
Só uma pergunta, quanto custa em média uma collectors lá fora?

-------------




Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:29
Um kit Collectors como o da foto, de 6 peças, a partir de U$ 5.000,00


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 31/10/09 as 18:29
Entre as custom americanas... a DW não é a mais cara. Existem outras bem mais caras.


Postado Por: gadmax
Data de Publicação: 31/10/09 as 22:04
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Entre as custom americanas... a DW não é a mais cara. Existem outras bem mais caras.
Isso que eu ia falar pizza, tem muito mais bateras gringas custom bem mais caras que a dw, e quando eu falo BEM é BEM mesmo tem batera que ta 20 mil doletas.

Agora falando do topico, ADOREI valeu pelo esclarecimento, me deu mais vontade ainda de ter uma DW!

abração


-------------
Eu voltei :)


Postado Por: ViniFeliciano
Data de Publicação: 31/10/09 as 22:10
Bela aula parceiro!

Concordo com o que o ApLuck falo, os imposto daqui acabam com o sonhos de milhares.

Mas mesmo assim, dentro dos padrões nacionais ainda acho justo visto o que ela oferece.
Muita gente esqueçe que a DW além de ser Top é uma Custom e tenta comparar o preço com outras Tops de fabrica.
Agora, Tenta comparar o preço dela com uma Starclassic Custom ou uma MasterWorks por exemplo! (Isso também é valido para Sonor SQ2.)
Vai acabar no mesmo preço e se bobiar fica mais caro!

A grosso modo, eu comparo todas as Tops com Ferraris que aqui no Brasil quem tem 1..2...milhões compra e a DW com a Pagani, marca de carros Top não tão conhecida mas que custa atualmente no Brasil 4,5 milhões cada carro graças a tecnologia empregada e não ao nome. (Curiosidade, só existe um Pagani no Brasil atualmente. Wink)

É um intrumento de alto nível apenas para pessoas exigentes e que amem o suficiente pra gastar uma grana boa nela, resumindo, não é pra qualquer um.

PS.: Valeu a explicação das bordas ESE, do casto VLT e dos parafusos e canoas True Pitch, esses eu não sabia realmente o significado. (Por preguiça de nunca ter procurado também Embarrassed)

Abs cara!


-------------
Ex-Moderador: Nov. 2009/Fev. 2012


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 31/10/09 as 22:10
Valeu Gad,
 
Realmente a intenção foi trazer informação. Eu sei que muita gente não conhecia todos esses detalhes que estão por trás da construção de uma DW e que fazem dela um instrumento tão especial.
 
Como eu estou sempre lendo e pesquisando, achei que seria útil fazer este post. Agente ouve muitas opiniões infundadas e sem nexo, por isso essas informações são importantes.
 
abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 31/10/09 as 22:18

Vini,

Então, esse negócio de preço é muito relativo. Não se trata de ser mais caro ou mais barato. A minha relação com a DW é decorrente da paixão pelo instrumento, e da forma como ele feito. Na minha opinião, nenhuma fábrica é tão minuciosa.
 
Um kit Yamaha PHX, Sonor SQ2 ou Craviotto podem custar muito mais, mas isso pra mim não quer dizer nada. Não compraria nenhuma dessas batera.
 
P.S. nunca ouvi falar de uma Starclassic custar tanto... Já vi tudo que é tipo de Starclassic, mas nenhum chega na casa dos U$ 5.000,00
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 31/10/09 as 22:21
Nos EUA, uma Starclassic Maple ou Bubinga, kit de 6 peças, está na casa de U$ 3.500 


Postado Por: Maurício Mallmann
Data de Publicação: 31/10/09 as 23:39
Como dito, o que avacalha é o "x2" que qualquer produto sofre ao entrar no Brasil...

DW e Sonor (os alemães tbm são fdp! ), para mim, são o que há de "melhor".
Um dia eu chego! Big smile


-------------
:)


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 00:01
Maumau,
 
Com certeza chega cara! Você tem que acreditar e se programar para realizar o sonho. Quando eu comecei a tocar, em meados da década de 90 a DW era tipo uma lenda... ninguém nunca nem tinha visto uma ao vivo. Ela ficou plantada na minha cabeça mais de 10 anos até conseguir comprar uma.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: apLuck
Data de Publicação: 01/11/09 as 00:04
Pizza

Então, cara...É isso que eu acho que fica um tanto fora da realidade. O preço que ela custa aqui, seria o mesmo que custasse 10mil$ lá fora, ao invez dos 5mil$. Eu vejo da mesma forma as bateras gringas de entrada. São ruins? Não...Só que aqui no Brasil, elas custam MUITO mais do que deveriam. Lá fora ela tem um preço justo pro que ela se propõe. Agora dobra o preço? Fica meio sem noção. A gente ganha menos que os caras lá de fora e ainda paga o dobro nos instrumentos
uisahsaihsauihsauisahuisahsauihsauisahuisahuisahsauihsaui


-------------


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 00:13
Por isso que somos brasileiros e não desistimos nunca! hehehehe...


Postado Por: Marcos Fumagalli
Data de Publicação: 01/11/09 as 02:51
Pizza cara parabens velho sensacional!!! com certeza e o melhor instrumento, nao tem pra ninguem,eu ja era alucinado pela DW dps dessa aula mesmo pirei de vez,sabe tinha aquela coisa na cabeça pra que vo comprar um instrumento tao caro pra tocar e ganhar 300 , 400 cruzeiros, e pessoas falando cara oq vc faz com uma Dw vc faz com qualquer uma , isso pesava um pouco, mais dps dessa aula vo dedicar todos os meu dias para comprar uma joia dessas, e por incrivel que pareça, eu hj mesmo ante de ler seu post descobri uma forma de comprar  com o preço direto dos ESTADOS UNIDOS sem imposto, e calma todos nao e contrabando rsrs!! Grande Abraço Pizza!!!


Postado Por: Diego Bueno
Data de Publicação: 01/11/09 as 02:56
 
 
 
Parabéns pelo post Pizza, realmente é algo notório, tanta tecnologia aplicada em uma DW chega a ser "inacreditável". Muito bom mesmo :D 


-------------
http://diegobuenomusico.webs.com" rel="nofollow - http://diegobuenomusico.webs.com
https://www.youtube.com/user/DiegoLBC1" rel="nofollow - https://www.youtube.com/user/DiegoLBC1


Postado Por: percurso
Data de Publicação: 01/11/09 as 04:30
Não toquei ainda numa DW,mais numa intermediaria da marca a PACIFIC,e olha muito boa ,avera qualidade


Postado Por: Frasão
Data de Publicação: 01/11/09 as 04:41
Caramba, excelente tópico!
Muita gente acha que se paga só pela marca (às vezes isso acontece mesmo) mas no caso da DW existe muita tecnologia empregada. Eu nem imaginava que existia esse lance de agrupamento dos tambores por nota fundamental e aros com espessuras diferentes para cada tambor!


Postado Por: Carfi
Data de Publicação: 01/11/09 as 04:52
Desde que comecei a tocar batera, sempre ví a DW como a "Ferrari" das baterias, a intocavel, a rainha.
 
Vou confessar publicamente:
NUNCA TOQUEI EM UMA DW Cry


-------------
Mapex VX

Evans G2

Octagon

Sabian

Double bass Janus



TWITTER.COM/DANILOCARFICBH


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 01/11/09 as 05:20
Continuo não gostando de DW. Ainda acho que os tambores não tem grave, acho um absurdo não ter aro die-cast (dane-se se é filosofia da marca, pra mim tem que ter) e acho que os acabamentos da Sonor superiores. 

-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 05:50
Marco Suf,
 
Obrigado! Espero ver em breve as fotos da sua DW! Boa sorte na empreitada cara.
 
Claro que não se pode pensar em retorno financeiro.. um músico não ganha mais por ter um instrumento desse. É muito mais uma questão de realização pessoal.
 
Aguardo as fotos da sua!
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 05:53
Originalmente postado por Larry Mullen Larry Mullen escreveu:

Continuo não gostando de DW. Ainda acho que os tambores não tem grave, acho um absurdo não ter aro die-cast (dane-se se é filosofia da marca, pra mim tem que ter) e acho que os acabamentos da Sonor superiores. 
 
Larry,
 
Acho que você não leu bem o tópico, a DW fabrica aros die cast sim! Mas 90% dos clientes da DW preferem os aros tradicionais. Se essa batera não tem grave, eu não sei qual tem.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 05:54

Valeu Frasão!



Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 05:54
Obrigado Diego!


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 05:56
A Pacific não é uma DW, mas é uma boa batera.


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 05:57
Carfi,
 
Depois de ter essa experiência, tenho certeza que você vai concluir que ela é a rainha!
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 01/11/09 as 06:03
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Originalmente postado por Larry Mullen Larry Mullen escreveu:

Continuo não gostando de DW. Ainda acho que os tambores não tem grave, acho um absurdo não ter aro die-cast (dane-se se é filosofia da marca, pra mim tem que ter) e acho que os acabamentos da Sonor superiores. 
 
Larry,
 
Acho que você não leu bem o tópico, a DW fabrica aros die cast sim! Mas 90% dos clientes da DW preferem os aros tradicionais. Se essa batera não tem grave, eu não sei qual tem.
 
Abs,
 
Pizza


Eu entendi sim, mas também sei que eles só oferecem aros die-cast pras caixas.Quanto ao grave, as que ouvi tanto ao vivo (ao vivo mesmo, sem microfonação) quanto em dvd não tinham. Lógico que pode ser afinação ou efeitos, mas não encontrei uma dw que me agrade até hoje.


-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 06:53
Larry,
 
Não é só para caixa não. A DW fabrica aros die cast para todos os tambores, mas é difícil alguém encomendar uma Collector com aros die cast, mas a opção está lá para quem quiser.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 01/11/09 as 07:03
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Larry,
 
Não é só para caixa não. A DW fabrica aros die cast para todos os tambores, mas é difícil alguém encomendar uma Collector com aros die cast, mas a opção está lá para quem quiser.
 
Abs,
 
Pizza


Pensei que era só pra caixa. Mas nao sei porque, não consigo gostar das dw. Não acho ruim não, mas não gosto. Assim como Ferrari, não me dizem nada.



-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: Andrews.Jau
Data de Publicação: 01/11/09 as 07:44
Grande Pizza, ótimo tópico cara....
A maioria da galera, considera a DW um mito, tbm não é por menos...
Passei por todas top, só me faltou a Yamaha, mais dentro de todas as Tops, a que mais me fez sentir tesão de tocar e sentir o bumbo bater no peito foi a Tama Starclassic Maple, dentro as Tops Gringa ela foi a primeira batera minha, depois peguei uma Pearl Masters MRX, que não gostei nada nada, depois toquei numa Reference, e quase cai de costas, o som mto foda, alto paulada, mais pelo mix das madeiras, não sentia a mesma pressão sonora da Starclassic, logo em seguida encomendei a DW, irmã da sua, fiquei 1 ano e meio com ela...e fui mto feliz, é mto foda mesmo, os tons cantam bunito, os surdos apesar dos meus ser 14x11, 16x13, falava gostoso tbm, unico ponto negativo era o bumbo, e não sentia aquele grave, que eu sentia em todas as outras....A DW no estudio é realmente mto foda, mais ao vivo eu não sentia aquele gosto de tocar, poder falar olha esse som da DW...isso foi me deixando sem o tesão, então resolvi voltar pro inicio, e pegar a batera que mais me deixo com essa vontade de tocar em seus tambores, liguei pro Goedert e troquei minha DW na Starclassic Marigold dele....não me arrependo nunca de ter trocado, a Tama é o meu som....
Mais a DW é o mito, é a batera!!
Em relação aos graves, desculpa mais ela não chega aos pés da Pearl, Tama, Ludwig, Gretsch....
Mais cada um tem seu som...Eu não troco minha Tama pela DW nem a pau...mais compraria outra DW...hahahaha
Abraçãooo!!!

-------------
Bosphorus RULES


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 16:11
Valeu Andrews,
 
A Starclassic é uma grande batera, sem sombra de dúvida. Hoje ela conquistou uma fatia do mercado enorme.
 
Eu conhceço bem todas essas bateras que você citou e incluiria no rol de grandes bateras TOP's a Premier Signia (agora substituída pelas Tradicional e Classic Maple). Já tocou nessa batera? É divina!
 
O que importa é você encontrar o seu som! Isso é que vale! (se bem que tu perdeu dinheiro nessa troca meu chapa!)
 
Só deixa eu fazer um comentário, pois como trabalhei com áudio e ainda continuo estudando essa matéria ao longo desses 15 anos, posso esclarecer algo que me chamou atenção no seu comentário e no do Larry.
 
Eu acho que vocês podem estar se expressando mal quando dizem que sentiram falta de grave na DW. Acredito que vocês estejam fazendo uma pequena confusão de nomenclaturas (muito comum, por sinal).
 
Frequências Baixas (Graves) x Pressão Sonora
 
Graves são frequências muito baixas, que são geradas por vibrações muito sensíveis. É uma questão de física: Quanto mais fino é um casco, mais frequências graves ele projeta e mais ressonante ele é. (claro que outros fatores influenciam isso, como a madeira por exemplo, mas estamos falando só de bateras de maple).
 
Pressão Sonora é um conceito oposto, que não convive bem com baixas frequências. Vou explicar melhor. As frequências baixas são senóides longas e que dependem da ressonância da matéria para se propagarem e serem percebidas. Os cascos mais grossos projetam o som com mais pressão e direcionalidade, porque com a espessura mais alta, a vibração da matéria é menor e menos frequências baixas se propagam.
 
Esse nosso universo é muito parecido com o dos guitarristas. É como aquela briga entre Fender e Gibson... No final, sabemos que é uma questão de gosto, pois todas essas bateras clássicas estão em pé de igualdade. O que muda é o gosto do cliente!
 
Abs,
 
Pizza
 
 
 


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 16:11
Espero que não tenha ficado confuso...
 
Larry,
 
Nada pessoal cara! Só estou querendo esclarecer uma questão técnica.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 01/11/09 as 16:16
Outro dia estava discutindo essas questões com o Goedert e ele falou uma coisa muito interessante. Na starclassic, em razão da espessura do casco, a nota fundamental é mais presente, enquanto em uma DW a ressonância aparece mais. Essa ressonância é justamente porque a madeira fica mais tempo vibrando e gerando baixas frequências.


Postado Por: kelven
Data de Publicação: 01/11/09 as 16:24
Clap


Postado Por: Bruno S.G.
Data de Publicação: 01/11/09 as 16:30

Bem eu sei que a DW é uma puta batera, já pude tocar em algumas em uns estúdios, etc, acho que toquei em 5 DW's e já baquetei outras em lojas, mas sem tocar mesmo e sinceramente, é uma ótima batera e tal, mas eu tb concordo em parte com o Larry. Eu acho que falta um pouco de grave e uma pressão mais fortes nos tambores maiores. Os tons de 8" a 12" eu adoro mas tons e surdos acima de 13" eu acho que falta algo no som. A DW tem o som meio estalado e isso foi uma características que percebi em todas as que eu toquei. O som é muito definido e ótimo nos tons, mas nos surdos, eu não gostei, bem , não é que não tenha gostado, só achei que faltou algo.

De tudo o que eu toquei até hoje, achei melhores as Pearl Reference e Starclassic Maple. Eu adoro as References. Se eu tivesse grana, seria ela que eu iria comprar. O som dela é muito completo. Tem muito grave, muito agudo, um peso e uma pressão filhas da p.... Dos tons pequenos aos maiores surdos, sempre são todos definidassos e cada um com sua característica aguda ou grave. Muito boa mesmo!!!
Gosto das Pearl em geral, tanto sonora, quanto vizualmente. Acho perfeitas em todos os quesitos e pra mim são as mais completas em tudo, tanto quanto em ferragem, quanto em casco, acessórios. Vc faz tudo com uma marca só e tudo é da melhor qualidade possível e gosto muito disso.
 
Voltando as DW's, uma coisa que eu adoro são as caixas, principalmente a Edge e numa Craviotto que toquei. Depois que eu toquei nelas, não consigo tirá-las da minha cabeça. São ótimas (a que eu toquei estava diecast)!
 
Acho que a DW fica no 3º ou 4º lugar das minhas escolhas.
No fim de tudo, o que vai contar mesmo é o gosto da pessoa.
Não acho que dá pra dizer que há uma melhor entre Collector's, Starclassic's, Masterwork's, SQ2, Gretsch USA, etc.


-------------
- @brunoskull
Ñ RESPONDO DÚVIDAS POR MP!!!
http://migre.me/57Vp6" rel="nofollow - My Kits


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 01/11/09 as 17:06
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Espero que não tenha ficado confuso...
 
Larry,
 
Nada pessoal cara! Só estou querendo esclarecer uma questão técnica.
 
Abs,
 
Pizza


Tranquilo Pizza, o importante é debater!
Não se é grave ou pressão, mas concordo com o Bruno, os surdos dw soam fracos, talvez seja pressão mesmo, mas é uma coisa que não ouço nas Starclassic ou Renow por exemplo.



-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: Matheus HPX
Data de Publicação: 01/11/09 as 17:56
eu acho que as baterias odery 100% nacional!!!! tem muita qualidade é uma boa opção em ves de 5000 doletas!!!! sem impostos, voce monta um odery por 5000 6000 reais! em media....
para mim vale mais a pena... detalhe eu NÃO TENHO UMA ODERY! quem me dera   

-------------
www.actionvirtual.com


Postado Por: CarlinhosWebber
Data de Publicação: 01/11/09 as 19:39
 Na boa Pizza ainda acho que a bateria com mais técnologia empregada é a Sonor. Mas entre uma starclassic maple e uma Dw collectors eu fico de dw, não sei achei o som da starclassic muito esporrento - um excesso, sei lá não curti, quero ouvir o som da bubinga.
 Adorei o post, também acho uma besteira aros die - cast, além de achar estéticamente feio, deixa o som mais brilhante o que pra mim só serve pra caixa!
 Abração e parabéns!



-------------
CarlinhosWebber|DrumTech


Postado Por: Nilo Henrique
Data de Publicação: 01/11/09 as 22:39
Já imaginava que muita tecnologia era empregada em uma DW, mas depois desse esclarecimento feito por vc Pizza, temos uma noção maior do que realmente é um DW.
Esse processo de avaliar a nota fundamental do tambor eu não sabia. Esse tópico foi realmente esclarecedor pra mim.
Sempre fui muito fã das DW's e agora depois conhecendo mais a exclusividade existente na construção das baterias dessa marca fabulosa, eu acabo me apaixonando ainda mais pela marca.

Obrigado pela informações. Espero que haja cada vez mais tópicos informativos aqui no batera.

Valeu Pizza, abração!!!!!!!



-------------
http://imageshack.us/photo/my-images/849/assinaturaforump.jpg/" rel="nofollow">

<a href="http://imageshack.us" re


Postado Por: Diego Santana
Data de Publicação: 02/11/09 as 00:33

Ótimo tópico Pizza. Gostaria de acrescentar alguns pontos. 

-em relação ao aro die-cast, realmente é meio desnecessário nas DW's. As canoas e o sistema de suspensão são tão grandes e ocupam tanto espaço do casco que die-cast seria overkill. Eu acho as canoas DW horrorosas, mas isso não tem nada a ver com o tópico.

-O sistema de laminamento vertical era usado pela Sonor antes da DW. 

-Quando vc fala que as marcas européias seguiram o padrão americano, é discutível. A Premier chegou a ser comprada pela Yamaha no início dos anos 90 e em seguida recomprada por um grupo inglês. Foi perceptível a evolução da qualidade do acabamento nas Yamahas top's "pós-Premier". Os japas costumam copiar as européias em uma coisa ou outra. Um ótimo exemplo foi a Pearl lançar a série Masterworks 1 ano após a Sonor lançar a Designer Series (hj SQ2) em meados de 94-96. Outra cópia mais moderna foi o uso da Bubinga pela Tama e Beech pela Yamaha (ambos inéditos até a Sonor lançar). Se eu lembrar de mais alguma eu posto depois haha

-É inegável a qualidade das ferragens DW, mas a maioria das estantes são tão pesadas e exageradas q eu não consigo imaginar um baterista profissional carregando sem ajuda de um roadie ou um carrinho de ferragens. A mesma coisa vale para as outras marcas. Os pedais DW são perfeitos, gosto tanto q tenho um.

-Minha experiência com DW's é limitadíssima mas memorável. O bumbo e as caixas DW sempre soam muito bons pra mim. Os tons soam genéricos e os surdos pouco cheios. Toquei em 2 DW's diferentes e tive as mesmas impressões. Gostaria de testar mais caixas da DW e com certeza alguma me agradaria infinitamente. Recentemente tive no exterior e pude testar toda a linha Artist da Sonor, velho, é coisa de louco. Não tem nada que chegue nem perto da "luxúria" da Sonor, as DW's ficaram apagadas nas prateleiras das opções da Sonor. Gostaria de testar as novas caixas Super-Solid, inclusive tá na minha lista de compras

-As peles da DW by Remo não têm nada de especial pra mim. Principalmente porque sempre preferí as peles da Evans, mas gosto de experimentar vez e outra peles diferentes.

-O "Timbre-Matched" da Dw também é discutível. A nota fundamental é estabelecida antes do casco ser trabalhado e furado. Além do mais, pouquíssimos bateristas afinam suas baterias por notas. 

-Por último, eu soube que a Guitar Center não vende Sonor por causa da DW, que teria privilegiado os preços em troca do "embargo" a Sonor, mas isso ninguém pode confirmar.



Postado Por: Bruno S.G.
Data de Publicação: 02/11/09 as 00:58
Gostei de ver vc agora Diego!

-------------
- @brunoskull
Ñ RESPONDO DÚVIDAS POR MP!!!
http://migre.me/57Vp6" rel="nofollow - My Kits


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 02:02
Originalmente postado por Karlinos... Karlinos... escreveu:

 Na boa Pizza ainda acho que a bateria com mais técnologia empregada é a Sonor. Mas entre uma starclassic maple e uma Dw collectors eu fico de dw, não sei achei o som da starclassic muito esporrento - um excesso, sei lá não curti, quero ouvir o som da bubinga.
 Adorei o post, também acho uma besteira aros die - cast, além de achar estéticamente feio, deixa o som mais brilhante o que pra mim só serve pra caixa!
 Abração e parabéns!

 
Karlinhos,
 
Preciso pesquisar mais sobre a Sonor para fazer um comparativo mais justo. Mas tenho certeza de que é uma grande marca e que não brinca em serviço.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 02:02
Originalmente postado por Matheus HPX Matheus HPX escreveu:

eu acho que as baterias odery 100% nacional!!!! tem muita qualidade é uma boa opção em ves de 5000 doletas!!!! sem impostos, voce monta um odery por 5000 6000 reais! em media....
para mim vale mais a pena... detalhe eu NÃO TENHO UMA ODERY! quem me dera   
 
Matheus,
 
Também acho a Odery uma grande batera!
 
abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 02:04
Originalmente postado por Nilo Henrique Nilo Henrique escreveu:

Já imaginava que muita tecnologia era empregada em uma DW, mas depois desse esclarecimento feito por vc Pizza, temos uma noção maior do que realmente é um DW.
Esse processo de avaliar a nota fundamental do tambor eu não sabia. Esse tópico foi realmente esclarecedor pra mim.
Sempre fui muito fã das DW's e agora depois conhecendo mais a exclusividade existente na construção das baterias dessa marca fabulosa, eu acabo me apaixonando ainda mais pela marca.

Obrigado pela informações. Espero que haja cada vez mais tópicos informativos aqui no batera.

Valeu Pizza, abração!!!!!!!

 
Nilo,
 
A intenção foi essa mesmo, levar informação a quem ainda não sabia de todas essas nuances que estão por trás do mito. Que bom que ajudou!
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 02:43
Diego,
 
Obrigado!
 
Sem sombra de dúvidas a Sonor é uma grande batera! Mas em relação aos pontos colocados:
 
1 - Sim, muitos fabricantes utilizam a laminação vertical, mas a questão não é essa. Assim como a Pearl Reference é contruída com um mix de madeiras diferente em cada peça, com a finalidade de "equalizar" o kit, a laminação vertical da DW foi pensada também como essa função. Como é uma batera custom, se você quiser você pode comprar uma DW com todos os casco VLT. Mas o que a DW recomenda é o uso das lâminas verticais nos surdos e bumbos, com a finalidade de proporcionar uma sonoridade mais grave, essa proposta é que foi o diferencial.
 
2 - A tecnologia é um pouco relativa, aquilo que você pode achar que representa um grande avanço, pra mim pode não ser. Eu tenho mais intimidade com a Premier do que com a Sonor (embora já tenha tocado em algumas). A Premier é uma batera maravilhosa mas simples, o que me lembra muito a filosofia da Ludwig. A Pearl e a Tama (as japonesas) foram responsáveis por inúmeros avanços tecnológicos hoje empregados na fabricação do instrumento, mais do que a Sonor. 
 
3 - Achei muito estranho esse comentário sobre o tamanho das canoas e suspensão da DW, as canos da Sonor são enormes e terrivelmente feias. Mas até aí é questão de puro senso estético, em nada acrescenta no debate.
 
4 - As peles da DW by Remo são incríveis. Eu não gosto tanto da Evans.
 
5 - Acho que você não captou a finalidade do Timbre Matched. Não se trata de afinar uma bateria pelas notas de um piano. A proposta é formar um kit mais hamonioso entre si.
 
Esse último ponto não é especificamente para você não, mas em relação a outros usuários:
 
Acho muito deselegante esses comentários em tom depreciativo de uma marca tão importante e representativa como a DW é no universo da bateria. Claro que ninguém é obrigado a gostar de tudo. Mas quando alguém fala de uma DW como se fosse uma BNB, fica claro que a pessoa não tem o menor conhecimento de causa.
 
Seria a mesma coisa eu dizer que Ferrari é uma bosta, bom mesmo é Porsche! Não dá nem para levar a sério quem faz um comentário desse.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: joaopich
Data de Publicação: 02/11/09 as 02:45
Parabéns pela tua escolha e por poder desfrutar de tanta tecnologia e requinte!Clap
Desejo que tua técnica esteja a altura deste magnífico instrumento!




-------------
http://www.facebook.com/joaopich" rel="nofollow">


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 02:47
Valeu João,
 
Infelizmente minha técnica é infinitamente inferior ao instrumento. Até porque eu fiquei bastante tempo sem tocar. Mas vamos correr atrás.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 02/11/09 as 03:14
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Diego,
 Seria a mesma coisa eu dizer que Ferrari é uma bosta, bom mesmo é Porsche! Não dá nem para levar a sério quem faz um comentário desse.
 
Abs,
 
Pizza


Uaheuah! Eu digo isso, mas sério! Eu não gosto de Ferrari, digo, prefiro Porsche.


-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: Douglas Trigo
Data de Publicação: 02/11/09 as 03:40
 Grande Pizza! Execelente tópico, eu só de olho em tudo que pessoal que manja escreve ehehe!. Muitas informações que eu nem imaginava sobre a DW, verdadeira aula!

-------------
https://www.facebook.com/douglas.trigo" rel="nofollow - Facebook


Postado Por: Andrews.Jau
Data de Publicação: 02/11/09 as 03:42
Grande Pizza, cara eu escutei o som de uma Premier no P.A e foi um dos sons mais lindos que já escutei...mais tocando nela, ja não gostei tanto...tipo mto foda mesmo o som dela, mais eu achei meio "pra dentro" não sei bem...
Em relação ao grave, eu ainda acho que ela tem menos que as demais...mais digo isso só pelo ouvido, não sou tão bom como vc que manja mto disso né...então vc deve estar certo....
E qto perde grana, não perdi não cara...quando troquei a Tama pela Pearl Masters peguei 2 mil da volta, na reference coloquei 2 mil...hahahaha...entao fico elas por elas...e na DW eu peguei 2 mil, pq minha DW tinha um tambor a mais q a Starclassic...
Hj elas estão na mesma faixa de preço, no batera clube a Tama ta mais cara inclusive!!
Bom Pizza, gosto de discutir com vc, pois aprendo pra cacete...esse é o propósito do forumm...
Grande abraçooo!!


-------------
Bosphorus RULES


Postado Por: Bruno Schell
Data de Publicação: 02/11/09 as 03:46
Excelente tópico, bem notado estes pequenos detalhes que fazem a diferença.
 
Tembém tem uma "lenda" sobre a origem das madeiras utilizadas nas Collectors. Elas foram retiradas de um fundo de um rio, onde ficaram perdidas lá por muitos anos.
 
Na época em que estas árvores foram plantadas, não se tinha todo este avanço genético de se diminuir o tempo de crescimento da planta, que a indústria desenvolveu. Então elas cresceram lentamente, e com isso elas eram mais densas, com mais veios.
 
Eles falam que estas madeiras eram utilizadas somente em Stradivarius (violinos extremamente caros), e a DW construiu seus cascos com ela. E que esta madeira contribui para um som único, que é característica da marca.
 
Abrass 


Postado Por: Bruno S.G.
Data de Publicação: 02/11/09 as 03:54
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

 
Esse último ponto não é especificamente para você não, mas em relação a outros usuários:
 
Acho muito deselegante esses comentários em tom depreciativo de uma marca tão importante e representativa como a DW é no universo da bateria. Claro que ninguém é obrigado a gostar de tudo. Mas quando alguém fala de uma DW como se fosse uma BNB, fica claro que a pessoa não tem o menor conhecimento de causa.
 
Seria a mesma coisa eu dizer que Ferrari é uma bosta, bom mesmo é Porsche! Não dá nem para levar a sério quem faz um comentário desse.
 
Abs,
 
Pizza
 
Cara, mas até agora ninguém depreciou a DW não. Pelo menos neste tópico eu não ví.


-------------
- @brunoskull
Ñ RESPONDO DÚVIDAS POR MP!!!
http://migre.me/57Vp6" rel="nofollow - My Kits


Postado Por: denismiranda
Data de Publicação: 02/11/09 as 03:59
Muito boa a aula pizza! Mas eu ainda não entendo porque a DW vem tão cara ao Brasil, por mais imposto e o caramba... E eu ainda não ouvi nenhuma DW ao vivo nem em estúdio que tivesse um som fodasso fora do comum total, típico de bateria Custom, exceto um que eu achei muuuuito foda que é essa:
 
 
 
Obs: Não tô falando que DW é ruim (até porque o som da sua é muito bom!!), e sim que não entendi porque ela (tirando as ferragens) é tão especial e querida dos bateras... Acho que a maioria busca mais nome do que som...
 
Abraço!


-------------
DENIS MIRANDA
CANSADO


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 04:25

Obrigado Douglas!



Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 04:29
Andrews,
 
Com certeza, ouvir quem teve tantas bateras maravilhosas é super importante para entender como as pessoas formam suas preferências.
 
Eu não manjo tanto assim da "física" da coisa, mas alguma coisa. Tinha alguém no forum que era engenheiro, não me lembro exatamente quem, mas que sempre dava contribuições bacanas sobre essas questões.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 04:34
Bruno,
 
A madeira afundada no lago é verdade. Mas em razão da quantidade, ela foi usada em séries limitadas. Existem algumas séries limitadas da DW com seleções especiais de madeiras.
 
Quem me dera botar a mão numa batera dessa...
 
Abs,
 
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 04:44
Denis,
 
Aí voltamos ao ponto dos gostos pessoais... talvez seja porque você ainda não conseguiu sentar nessa batera para tocar.. sei lá. O som da batera nessa gravação tá bem bonito, mas nem achei extraordinário, já ouvi outras gravações bem mais bonitas.
 
Mas o sucesso é muito mais consequência da qualidade do que de marketing.
 
Abs,
 
Pizza
 
 


Postado Por: denismiranda
Data de Publicação: 02/11/09 as 05:00
"Mas o sucesso é muito mais consequência da qualidade do que de marketing"
 
Se você falou, tá falado! hehehehe
É porque eu relevei alguns que tem uma bateria dessa não porque se apaixonou pelo som de alguma outra que já tinha ouvido e sim porque viu em algum lugar que é a melhor do mundo ou comprou porque é a mais cara, mas geralmente isso aí é quem tem mais vantagen$ hehehe
 
Abraço!


-------------
DENIS MIRANDA
CANSADO


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 15:51
Denis,
 
Eu acho que é muito dinheiro para alguém "tirar uma onda".
 
Pra mim, assim como para a grande maioria, é muito difícil juntar essa grana. Só vale a pena se é realmente para realizar um sonho.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: Marcos Fumagalli
Data de Publicação: 02/11/09 as 16:17
Fala pizza blz?? entao sera que vc tem algum video com essa batera???digo a sua mesmo!!!hehe!!


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 16:33
Tá aí Marcos,
 
http://www.youtube.com/watch?v=MvX3YbiYuoE - http://www.youtube.com/watch?v=MvX3YbiYuoE


Postado Por: Marcos Fumagalli
Data de Publicação: 02/11/09 as 17:31
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Tá aí Marcos,
 
http://www.youtube.com/watch?v=MvX3YbiYuoE - http://www.youtube.com/watch?v=MvX3YbiYuoE
Puts ainda tem gente que diz que a batera nao tem grave???? nossa!!!


Postado Por: rafateo
Data de Publicação: 02/11/09 as 17:57
Um dos melhores e mais esclarecedores tópicos que eu já li. Sou mais fã da Ludwig pela história e pelo carisma que ela tem, mas é puro gosto pessoal mesmo, lógico que a Dw junto com a Pearl e a Sonor são hoje as que tem as melhores tecnologias de construção eu acho. Há, ainda vou te mandar um email sobre a Ludwig Colliseum 14x8, só estou esperando a esteira nova chegar, prepara o bolso hehehe. Abraço. Rafael.


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 02/11/09 as 19:51
O problema da Sonor é que ela é uma bateria mais voltada pra quem toca pesado. É só olhar os endorsees dela. O único que me lembro que usa Sonor e não toca pesado é o Steve Smith.

-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: Bruno S.G.
Data de Publicação: 02/11/09 as 20:14
Originalmente postado por Larry Mullen Larry Mullen escreveu:

O problema da Sonor é que ela é uma bateria mais voltada pra quem toca pesado. É só olhar os endorsees dela. O único que me lembro que usa Sonor e não toca pesado é o Steve Smith.
 
Sei lá, eu não vejo a Sonor dessa forma não. Pra mim uma bateria que é mais voltada ao som pesado é a Tama, mas mesmo assim tem uma porrada de endoreses de outros estilos.


-------------
- @brunoskull
Ñ RESPONDO DÚVIDAS POR MP!!!
http://migre.me/57Vp6" rel="nofollow - My Kits


Postado Por: Douglas Trigo
Data de Publicação: 02/11/09 as 20:30
Originalmente postado por Larry Mullen Larry Mullen escreveu:

O problema da Sonor é que ela é uma bateria mais voltada pra quem toca pesado. É só olhar os endorsees dela. O único que me lembro que usa Sonor e não toca pesado é o Steve Smith.
 
 Penso a mesma, só que com a Paiste. Sonor nem tanto.


-------------
https://www.facebook.com/douglas.trigo" rel="nofollow - Facebook


Postado Por: percurso
Data de Publicação: 02/11/09 as 20:32

Realmente a ODERY , e uma batera de alto nivel ,em tudo acho umas das melhores fabricadas ,a unica diferença e Brasileira  mesmo que muitos afirmem sempre tendem a buscar o melhor de fora,as nossas fontes nacionais estão muito bem ,na minha opinião claro que acho a DW casca grossa ,mais investiria numa ODERY para min



Postado Por: ViniFeliciano
Data de Publicação: 02/11/09 as 20:41
Originalmente postado por Bruno S.G. Bruno S.G. escreveu:

Originalmente postado por Larry Mullen Larry Mullen escreveu:

O problema da Sonor é que ela é uma bateria mais voltada pra quem toca pesado. É só olhar os endorsees dela. O único que me lembro que usa Sonor e não toca pesado é o Steve Smith.
 
Sei lá, eu não vejo a Sonor dessa forma não. Pra mim uma bateria que é mais voltada ao som pesado é a Tama, mas mesmo assim tem uma porrada de endoreses de outros estilos.


Concordo.
Se eu fosse classificar isso numa escala eu coloca a Tama, depois a Sonor e por último a Dw.
(Comparando só essas 3 citadas)

Tem o baterista do Avenged Sevenfold, que uma hora aparece com Dw, na outra com PDP, mas as duas pra min não cai muito bem o som justamente pela ressonância "exessiva".

Abs.


-------------
Ex-Moderador: Nov. 2009/Fev. 2012


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 02/11/09 as 21:46
Originalmente postado por marcosuf@hotmail.com marcosuf@hotmail.com escreveu:

Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Tá aí Marcos,
 
http://www.youtube.com/watch?v=MvX3YbiYuoE - http://www.youtube.com/watch?v=MvX3YbiYuoE
Puts ainda tem gente que diz que a batera nao tem grave???? nossa!!!
 
Marcos,
 
Olha que nesse vídeo o som nem está bem natural. Mais pra frente pretendo fazer umas gravações mais produzidas para disponibilizar para o pessoal.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: Carreira
Data de Publicação: 02/11/09 as 22:25
Bem, em primeiro lugar, queria parabenizar o Pizza pelo excelente post. É realmente muito esclarecedor, e acho que irá esclarecer muita gente sobre as DW.

Tendo em conta que já tive oportunidade de trocar algumas ideias com o Pizza acerca das DW, achei que deveria deixar uma opinião neste post, por uma questão de organização.

O primeiro ponto importante que focou foi o uso de tecnologia na construção das baterias. Em relação às vantagens e desvantagens, cada um terá a sua opinião. É que nem os guitarristas: apesar de haver amplificadores ultra-evoluidos, a maioria deles continua a preferir amplificadores a válvulas desenvolvidos a 40 anos... O mesmo com as guitarras. Por vezes, o uso de tecnologia e a busca da perfeição acaba por retirar alguma orgânica ao som, e por isso alguns preferem ainda os instrumentos vintage.

Com alguns bateras, acontece o mesmo. Há quem simplesmente prefira o som mais tradicional de uma Gretsch, de uma Ludwig, ou de uma Slingerland a um som mais perfeito e trabalhado. O mesmo se passa com os pratos: as grandes marcas investem milhões em maquinaria, e vem um grupo de puristas dizer que o som deixou de ser orgânico e é muito artificial, e procuram novos produtos em marcas artesanais, como a Istanbul, a Bosphorus e as outras que vocês conhecem... Tudo isto para dizer que nunca haverá concenso nesta matéria.

A uns anos atrás, o Sr. Peter Erskine, endorser da DW, disse num workshop em Sevilha que a melhor batera que já tinha tocado, a que para ele tinha um som mais próximo do seu ideal, era uma Gretsch vintage. Atualmente, tinha escolhido ser endorser da DW exatamente porque a DW Jazz era a batera que melhor recriava esse som (com os aros Die cast, e os cascos a tentar copiar as Gretsch antigas). Achei piada à sua sinceridade, e este é mais um exemplo de que a inovação e a evolução nem sempre agradam a todos.

O primeiro ponto que tenho que discordar com o Pizza tem a ver com a sua visão das marcas Europeias. Como disse o Diego, uma boa dose de inovações foram introduzidas pelas marcas Europeias. A própria Yamaha só chegou ao mercado das Top depois de comprar a Premier e "beber" uma boa dose de conhecimento nessa empresa centenária. Um produto Yamaha desenvolvido com a tecnologia da Premier foi a própria Yamaha Recording Custom, que é apenas a batera mais gravada de todos os tempos nos estúdios de todo o mundo. Nunca vi ou ouvi nenhum baterista conhecedor dizer mal de uma Recording Custom... Infelizmente, o conhecimento transferiu-se da Premier para a Yamaha e a Premier meio que estagnou nos últimos anos. Continua a produzir ótimas bateras, mas sem aquele brilho de outras marcas. Em compensação, a Yamaha nunca mais foi a mesma, e entrou definitivamente para o patamar das bateras top.

Em relação à Sonor, não há mais nada a dizer. Desde o sistema de esteiras, até a utilização de madeiras como o Rosewood ou a Bubinga, todos os outros foram atrás. O problema da Sonor é que nunca conseguiu entrar bem nos USA, que é um mercado de grande exposição. Os USA são bastante protecionistas com a sua economia, e a entrada de produtos vindos do estrangeiro é mais dificil do que alguns pensam. Acredito bem num embargo da DW em relação à Sonor, mas isso é apenas especulação. A verdade é que é raro ver uma Sonor nos USA.

Voltando ao comentário do Diego, é verdade é que os Japoneses copiam bastante o que se faz na Europa, e isso acontece até nos carros se repararem. A Pearl, a Yamaha e a Tama vieram beber muito do know how aos fabricante Europeus, e até aos dos USA. A Tama cresceu muito depois de comprar a Camco em parceria com a DW. Foi daí que nasceu o Iron Cobra, e de onde vieram muitos dos conceitos do hardware de ambas as marcas.

Depois vem a descrição dos sites das marcas. Muitas apresentam esta ou aquela inovação, que nos leva a pensar que realmente todas as bateras deveriam ser assim, e até estranhamos porque ninguém se lembrou disso a mais tempo... mas a verdade é que muitas dessas coisas são pouco mais do que marketing... Uns fabricantes dizem que os aros Die Cast são a melhor coisa do mundo, outros vem dizer que não recomendam. Uns dizem que os aros de reforço vem focar o som, outros que retira ressonância ao casco... Outros compiam alguma coisa de outras marcas e vem então dizer que é o melhor do mundo... Antes da DW usar o VLT já a Sonor usava os veios na vertical, e agora a DW apresenta isso como sendo verdadeiramente inovador...
Enfim, acho que as marcas top têm todas excelentes bateras, o negócio está em encontrar a que melhor define o seu ideal de som: para uns será a Collectors, para outros a SQ2, para outros a Reference, a Starclassic, uma Ludwig, ou outra coisa qualquer...

Concluindo, gosto bastante da DW, mas acho que como a maioria das outras não é uma batera perfeita. Tem ainda alguma margem para melhorar. Isto não é depreciativo, é uma ótima batera, mas não existe a batera perfeita. Quando existir, todas as outras vão à falência!

Abraços


Postado Por: Legião_Drummer
Data de Publicação: 02/11/09 as 22:57
ClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClap

Muito bom esse tópico, fazia tempo que não tinha um tópico tão bom como esse, como disseram antes uma verdadeira aula, vou continuar acompanhando e parabéns pro Pizza por ter criado o tópico e pra toda a galera que ta contribuindo aí com ótimos posts!
Abraços



Postado Por: gadmax
Data de Publicação: 02/11/09 as 23:02
Sinceramente depois de tanto ler neste topico oque eu conclui ? 
dentre TODAAAAAS as bateras TOP mesmo quando digo isso quero dizer top da linha de cada marca, nao tem melhor ou pior, e sim DIFERENTE (tama starclassic, dw, pearl master's etc...)
apartir de ai é gosto pessoal !


-------------
Eu voltei :)


Postado Por: R.Romao
Data de Publicação: 03/11/09 as 02:04
Grande Pizza,
Primeiramente parabéns pelo tópico.
Você é um grande fã desta marca, e, como tal, fez uma bela apresentação da construção do Kit.
Não vou entrar na discussão sobe graves ou pressão sonora.
Abração
 


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 03/11/09 as 02:14
Romao,
 
Também acho que não devemos entrar nessa discussão. No final das contas, o que manda é o ouvido de cada um. Os aspectos técnicos são importantes para entendermos a razão de nossas preferências.
 
Sou um grande fã da DW, sem sombra de dúvida. Contudo, posso até não ter acertado, mas tentei fazer um post tratando de aspectos técnicos, sem ficar rasgando seda.
 
O problema é que as pessoas lêem aquilo que não está escrito e tiram conclusões erradas.
 
Eu tenho muita tranquilidade em relação ao meu bom senso.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 03/11/09 as 02:15
Originalmente postado por gadmax gadmax escreveu:

Sinceramente depois de tanto ler neste topico oque eu conclui ? 
dentre TODAAAAAS as bateras TOP mesmo quando digo isso quero dizer top da linha de cada marca, nao tem melhor ou pior, e sim DIFERENTE (tama starclassic, dw, pearl master's etc...)
apartir de ai é gosto pessoal !
 
Gad,
 
PERFEITO!


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 03/11/09 as 02:15
Originalmente postado por Legião_Drummer Legião_Drummer escreveu:

ClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClapClap

Muito bom esse tópico, fazia tempo que não tinha um tópico tão bom como esse, como disseram antes uma verdadeira aula, vou continuar acompanhando e parabéns pro Pizza por ter criado o tópico e pra toda a galera que ta contribuindo aí com ótimos posts!
Abraços

 
Obrigado!


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 03/11/09 as 02:37
Carreira,
 
Gostei muito dos seus comentários. Só gostaria de explicar alguns pontos:
 
A história da DW com a Camco nasceu como uma parceria, que posteriormente, com a falência da Camco, a DW adquiriu todo o maquinário e know how da Camco para produzir baterias. Desconheço essa "parceria" entre a DW e a Tama. A história que conheço e que é pública, é que com a falência da Camco, a Tama comprou somente a marca, enquanto a DW comprou o maquinário e o know how.
 
Pra mim, a Premier é tão tradicionalista quanto a Ludwig e Slingerland, mais uma vez, reconheço muito mais o trabalho da Tama e da Pearl em termos de inovações e de uso de tecnologia em suas baterias. Nos anos 50 e 60 a Premier era conhecida com a "Ludwig da europa."
 
Os cascos VLT não são simplesmente lâminas cortadas na vertical, existe uma outra proposta que eu expliquei anteriormente, que é voltada para a equalização do kit. Não conheço ninguém que tenha feito isso antes da DW.
 
Sinceramente, eu fiquei muito curioso para saber que tanta tecnologia é essa da Sonor. Um monte de gente levantou essa bandeira, mas ninguém soube explicar. Não estou dizendo que não existe, só estou dizendo que não conheço. Sobre a DW, Pearl e Tama eu poderia explicar. Mas em relação a Sonor, alguns dizem aí que tem muito mais tecnologia empregada mas ninguém sabe explicar.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 03/11/09 as 02:41
Só um P.S.
 
Inclusive, eu concordo com o fato de que existem grandes instrumentos simples e puristas. Adoraria um dia ter uma Ludwig e uma Slingerland. Todas são baterias fantásticas.
 
 


Postado Por: ChronoCrusher
Data de Publicação: 04/11/09 as 05:53
Sinceramente para mim ter uma DW é um sonho impossível e inviável...


Postado Por: R.Romao
Data de Publicação: 04/11/09 as 13:45
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Romao,
 
Também acho que não devemos entrar nessa discussão. No final das contas, o que manda é o ouvido de cada um. Os aspectos técnicos são importantes para entendermos a razão de nossas preferências.
 
Sou um grande fã da DW, sem sombra de dúvida. Contudo, posso até não ter acertado, mas tentei fazer um post tratando de aspectos técnicos, sem ficar rasgando seda.
 
O problema é que as pessoas lêem aquilo que não está escrito e tiram conclusões erradas.
 
Eu tenho muita tranquilidade em relação ao meu bom senso.
 
Abs,
 
Pizza
 
Pizza,
Por estas e outras razões que é sempre muito bom trocar informações com vc.
Mais uma vez, parabéns pelo tópico.
Abraço.
 
Gostaria que alguém fizesse um tópico assim em relação à Sonor, a menina dos meus olhos.


Postado Por: R.Romao
Data de Publicação: 04/11/09 as 13:49
Pizza,
Só mais uma coisa meu amigo: porque vc pega tanto no pé da Sonor? rsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
Abraços novamente.


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 04/11/09 as 16:57
Originalmente postado por ChronoCrusher ChronoCrusher escreveu:

Sinceramente para mim ter uma DW é um sonho impossível e inviável...
 
Cara, não diga isso! Você tem que acreditar em você!


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 04/11/09 as 17:14
Romao,
 
Ainda bem que você pegou o espírito da coisa. Valeu!
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 04/11/09 as 17:24
Romao,
 
Eu juro que eu não pego no pé da Sonor. Se dei essa impressão foi errada. A Sonor é uma puta batera!
 
Eu seria incapaz de falar mal de qualquer uma das grandes batera, todas são fodas! O negócio é que alguns ficaram ofendidos com o tópico achando que eu quis desmerecer outros fabricantes. Não tem nada a ver. Quem me conheçe sabe que eu respeito muito o trabalho de todos os grandes fabricantes.
 
Eu só fiz esse tópico pq acho que a DW tem um processo de fabricação muito peculiar, não conheço nenhuma outra linha de produção de baterias que faça o que eu descrevi no tópico. O que não faz dela melhor que as outras, mas sim de um instrumento muito especial.
 
Minha referência da Sonor é muito boa, mas desconheço processo tão elaborados quanto esses que eu citei. Os mais inflamados encheram a boca dizendo que a Sonor tinha muito mais tecnologia envolvida, mas ninguém foi capaz de explicar.
 
Abs,
 
Pizza
 
 


Postado Por: R.Romao
Data de Publicação: 04/11/09 as 18:10
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Romao,
 
Eu juro que eu não pego no pé da Sonor. Se dei essa impressão foi errada. A Sonor é uma puta batera!
 
Eu seria incapaz de falar mal de qualquer uma das grandes batera, todas são fodas! O negócio é que alguns ficaram ofendidos com o tópico achando que eu quis desmerecer outros fabricantes. Não tem nada a ver. Quem me conheçe sabe que eu respeito muito o trabalho de todos os grandes fabricantes.
 
Eu só fiz esse tópico pq acho que a DW tem um processo de fabricação muito peculiar, não conheço nenhuma outra linha de produção de baterias que faça o que eu descrevi no tópico. O que não faz dela melhor que as outras, mas sim de um instrumento muito especial.
 
Minha referência da Sonor é muito boa, mas desconheço processo tão elaborados quanto esses que eu citei. Os mais inflamados encheram a boca dizendo que a Sonor tinha muito mais tecnologia envolvida, mas ninguém foi capaz de explicar.
 
Abs,
 
Pizza
 
 
 
Muito bem expicado
Abraços


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 04/11/09 as 18:59
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Romao,
 
Eu juro que eu não pego no pé da Sonor. Se dei essa impressão foi errada. A Sonor é uma puta batera!
 
Eu seria incapaz de falar mal de qualquer uma das grandes batera, todas são fodas! O negócio é que alguns ficaram ofendidos com o tópico achando que eu quis desmerecer outros fabricantes. Não tem nada a ver. Quem me conheçe sabe que eu respeito muito o trabalho de todos os grandes fabricantes.
 
Eu só fiz esse tópico pq acho que a DW tem um processo de fabricação muito peculiar, não conheço nenhuma outra linha de produção de baterias que faça o que eu descrevi no tópico. O que não faz dela melhor que as outras, mas sim de um instrumento muito especial.
 
Minha referência da Sonor é muito boa, mas desconheço processo tão elaborados quanto esses que eu citei. Os mais inflamados encheram a boca dizendo que a Sonor tinha muito mais tecnologia envolvida, mas ninguém foi capaz de explicar.
 
Abs,
 
Pizza
 
 


A verdade é que a Sonor não usa tanta tecnologia assim. O que acontece é que na série SQ2, que é custom, o cliente pode escolher se quer os veios da madeira na vertical ou horizontal, quantas folhas, etc. Mas na outras séries, as baterias nem tem tanta tecnologia assim.



-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: zeharo
Data de Publicação: 04/11/09 as 19:02
Com toda certeza, das bateras top, a DW foi a melhor que eu toquei, o som era pronto, a batera sem nenhuma microfonação parecia que tinha um tratamento absurdo de produção, os tambores pareciam gravados, equalizados com toda a parafernalha de primeira linha e depois chegavam aos meus ouvidos, era foda....
Mas como tudo tem um mas, ela não aparece em nenhum sonho de consumo meu, talvez por não existirem quando era muleque, sei lá, meus olhos brilham mesmo quando vejo uma sonor ou uma premier, claro que deve ser influencia do Nicko, escutava iron pra cacete.
Tem um negócio paradoxal nessa historia de muita tecnologia, porque as bateras tidas como ultra tops continuam sendo feitas a mão?
O Charlie Watts continua tocando nos shows dos stones com a mesma gretsch de mil novecentos e sessenta e tantos e com os mesmos ufips de trocentos anos.
Se pegar a ludwig green sparkle do Bonham e botar em um estúdio hoje em dia ela vai soar tão bem quanto, ou até melhor que qualquer batera moderna.
NMHO, é claro.  


-------------
TER CIUMES DE MULHER FEIA É COMO COLOCAR ALARME EM FIAT 147.....


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 04/11/09 as 20:25
Larry,
 
Finalmente concordamos em alguma coisa.
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 04/11/09 as 20:38
Zeharo,
 
Isso é muito natural. A formação do gosto sonoro vem das nossas principais referências, principalmente de quando estamos começando.
 
Você deve ser mais velho do que eu. Mas me lembro bem de quando comecei a tocar, nos anos 90 eu via a Premier em tudo que era lugar. A primeira batera que toquei na vida foi uma Premier, e várias referêcias minhas usavam Premier (até o Deen Castronovo era endorsee da Premier, depois ele foi para a DW).
 
Na década de 90, todo os bons bateras que eu conhecia tinham uma Premier e a DW era uma lenda.. ninguém nunca nem tinha visto ao vivo, mas todos sonhavam com ela por causa das gravações gringas que agente ouvia ... hheheee..
 
Nos anos 2000 a Tama ganhou um peso gigante. Como a maioria do pessoal daqui é garotada, acho que por isso a Tama e a Pearl marcaram tanta gente. Independente da qualidade, que obviamente todas tem!, essas passagens na nossa formação marcam muito.
 
Não é por coincidência que eu adoro a DW e a Premier.
 
Eu não acho que seja um paradoxo não. Ambas as coisas devem coexistir. A tecnologia não pode ser entregue às máquinas. A mão humana é fundamental.
 
Acho que as marcas mais tradicionalistas e puristas resistem em mudar, porque os clientes gostam delas do jeito que elas são! Não se mexe em lendas como Ludwig e Slingerland.
 
Como a DW nasceu em 1972... era a hora certa de se pensar em coisas novas.
 
Abs,
 
 


Postado Por: Carreira
Data de Publicação: 04/11/09 as 22:26
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Carreira,
 
Gostei muito dos seus comentários. Só gostaria de explicar alguns pontos:
 
A história da DW com a Camco nasceu como uma parceria, que posteriormente, com a falência da Camco, a DW adquiriu todo o maquinário e know how da Camco para produzir baterias. Desconheço essa "parceria" entre a DW e a Tama. A história que conheço e que é pública, é que com a falência da Camco, a Tama comprou somente a marca, enquanto a DW comprou o maquinário e o know how.
 
Pra mim, a Premier é tão tradicionalista quanto a Ludwig e Slingerland, mais uma vez, reconheço muito mais o trabalho da Tama e da Pearl em termos de inovações e de uso de tecnologia em suas baterias. Nos anos 50 e 60 a Premier era conhecida com a "Ludwig da europa."
 
Os cascos VLT não são simplesmente lâminas cortadas na vertical, existe uma outra proposta que eu expliquei anteriormente, que é voltada para a equalização do kit. Não conheço ninguém que tenha feito isso antes da DW.
 
Sinceramente, eu fiquei muito curioso para saber que tanta tecnologia é essa da Sonor. Um monte de gente levantou essa bandeira, mas ninguém soube explicar. Não estou dizendo que não existe, só estou dizendo que não conheço. Sobre a DW, Pearl e Tama eu poderia explicar. Mas em relação a Sonor, alguns dizem aí que tem muito mais tecnologia empregada mas ninguém sabe explicar.
 
Abs,
 
Pizza


Começando com a Camco, peço desculpa por não ter sido claro. A única parceria que existiu entre a DW e a Tama, que se tenha conhecimento, foi para a compra da Camco.

Quando a Camco faliu, foi comprada em 1977 pela DW e pela Hoshino Gakki (grupo a que pertence a Tama). A DW era na altura uma empresa pequena, que se limitava a comprar cascos à Keller e a dar-lhe um acabamento personalizado (que nem a OCDP atualmente).

A DW ficou com os inventários da Camco, incluindo a maquinaria e as instalações, enquanto a Tama ficou com o nome, os projetos e os direitos de Engenharia e patentes. Esse foi o passo decisivo para a DW começar a produzir o seu próprio hardware, e crescer como um grande fabricante, chegando à sua dimensão atual.

Quanto a isto, julgo que estamos esclarecidos e peço desculpa pela eventual confusão que possa ter gerado.

Depois, quando você refere tecnologia empregada, acho que se refere a inovação, porque tecnologia todas as grande marcas têm, quer para o corte a acabamento da madeira, até à pintura, controlo de qualidade, e por aí fora. Nenhuma dela chegaria a uma dimensão tão grande sem o uso de maquinário. É o que distingue por exemplo a Odery da Pearl ou da Tama. Agora entre Pearl, Tama, DW, Sonor e mais umas quantas, independentemente dos processos de fabrico, as máquinas e a tecnologia estão lá.

Em relação às inovações , muitas marcas contribuiram para a bateria ser o instrumento que é hoje, e quem sabe se o sistema VLT não é um standard da industria daqui a alguns anos. A Sonor foi fundada em 1875 (quase 100 anos antes da DW LOL), e nesse periodo introduziu inovações que são consideradas básicas, e são hoje utilizadas por todos os fabricantes de bateras do mundo. Não dá para imaginar bateras sem alguns deles...
Entre algumas das inovações da Sonor podem contar-se:
- Primeiro fabricante a utilizar parafusos roscados nos tambores (imagine uma batera sem eles LOL)
- Primeiro fabricante a construir caixas em metal. O próprio William F. Ludwig trouxe a ideia para os USA, depois de ter visto as caixas produzidas pela Sonor.
- Primeiro fabricante a construir cascos em metal sem emenda e cascos em bronze.
- Primeiro fabricante que apostou na construção de cascos finos nos anos 80 (Sonorlite e Hilite), quando o paradigma era então construir cascos grossos (os cascos finos são hoje uma das caraterísticas mais importantes das DW)
- Primeiro fabricante a utilizar madeiras alternativas como a Bubinga, o Rosewood ou o Beech
- Primeiro fabricante a construir cascos com lâminas verticais (que é um dos conceitos base do VLT)
- Primeiro fabricante a utilizar um sistema de tranca dos tensores, para evitar que afrouxem (basicamente, dispensa o uso dos True Pitch, ao evitar que os parafusos afrouxem de uma forma ainda mais efectiva)
E podia continuar a lista com muito mais.

A questão é que algumas das inovações da Sonor são já tão antigas e estão tão enraizadas no nosso conceito de batera top moderna que as damos por adquiridas. Agora muito dos conceitos desenvolvidos originalmente pela Sonor estão bem na base das collectors, e de qualquer outra batera top atual. A DW também vai introduzindo novos conceitos, que qualquer dia serão standard, e nem nos lembraremos de quem teve a ideia. É assim que o instrumento evolui.

Acho que a Sonor só passou um pouco despercebidas ao lado de outras marca, porque a Alemanha atravessou 2 grandes guerras que a destruiram completamente e a isolaram do resto do mundo, e porque a cultura Alemã simplesmente não se expandiu da mesma forma que a dos USA o fez.
Todos nós crescemos a ouvir bandas dos USA, com bateristas a tocar com DW's, e poucos foram os que ouviam bandas Alemã a tocar com Sonor, e por isso fomos influenciados e crescemos mais no culto das DW do que no das Sonor.

Atenção, não estou a dizer que a Sonor é melhor ou pior do que a DW, estou apenas a salientar que a Sonor nunca deve ser diminuida nem desprezada na evolução do nosso instrumento. Os caras sabem o que fazem.

Abs.

P.S.: PIZZA, já tocou em alguma SQ2 ou Designer?



Postado Por: Raniery
Data de Publicação: 04/11/09 as 23:06

Nossa , só posts destruidores!

Raniery


-------------


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 04/11/09 as 23:35
Carreira,
 
Mais ums vez você entendeu o tópico errado. Está lendo com complexo de inferioridade. Como se alguém aqui tivesse falado mal ou diminuído a Sonor. Eu jamais diria algo nesse sentido. Eu falei que não conhecia procedimentos tão sofisticados quanto aqueles aplicados na construção das DW´s. Mas, tudo bem. Vamos mudar o rumo do tópico.
 
Cara, tecnologia é uma palavra de significado bastante amplo, mas sei que você entendeu quando leu o tópico. Me referi a tecnologia que compreende os procedimentos empregados pela DW na construção de suas baterias. Não são novos? Alguém faz igual?
 
Você veio agora falar sobre outra coisa, as invenções que foram incorporadas e são fundamentais para o instrumento como ele é concebido hoje. Isso não tem a ver com o tópico. E mais! As invenções a que você se refere são de uma época em que a DW em existia.
 
Essas grandes invenções.. a começar pelo pedal de bumbo como conhecemos hoje(concebido pela ludwig). Quer invenção mais importante?
 
Se você entrar nessa seara, a Ludwig, Slingerland, Pearl e Rogers vão apresentar tantas ou mais invenções do que essas creditadas à Sonor. Você só esqueceu que essa invenções são das década de 10 a 60... Daí a bateria tomou a forma que conhecemos hoje.
 
Tecnologia existe até para se fabricar um cotonete de tirar cera de ouvido!
 
Você só esqueceu que o tópico foi criado para descrever novas técnicas (tecnologia) utilizadas pela DW e que não são utilizadas por outros. Pelo menos não por enquanto.
 
Não toquei na SQ2 nem na Designer, assim como em muitas outras...
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: RicardoFreire
Data de Publicação: 05/11/09 as 02:04
 Pow o tópico ta massa, deveria ter um desse, mas pra TAMA, ''Por que a TAMA é a TAMA?''
Ou já tem um parecido?!



-------------

"Remember that death is not the end,
but only a transition."
- Fatal Tragedy, Dream Theater


Postado Por: PIZZA
Data de Publicação: 05/11/09 as 03:25
Ricardo,
 
Acho que seria bem legal. Eu escolhi fazer sobre um instrumento que é especial pra mim. Quem tiver saco de fazer de outras marcas, revelando detalhes sobre os processos de fabricação e etc... seria bem legal!
 
É uma forma de colocar tudo em pratos limpos, além de informar e tirar dúvidas.
 
Aguardo a iniciativa de alguém!
 
Abs,
 
Pizza


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 05/11/09 as 03:27
Originalmente postado por PIZZA PIZZA escreveu:

Ricardo,
 
Acho que seria bem legal. Eu escolhi fazer sobre um instrumento que é especial pra mim. Quem tiver saco de fazer de outras marcas, revelando detalhes sobre os processos de fabricação e etc... seria bem legal!
 
É uma forma de colocar tudo em pratos limpos, além de informar e tirar dúvidas.
 
Aguardo a iniciativa de alguém!
 
Abs,
 
Pizza


Opa! Eu já postei o meu! Por quê a Sonor é a Sonor?


-------------
U2 theknutz.com


Postado Por: ViniFeliciano
Data de Publicação: 05/11/09 as 03:33
Uma pergunta off, não seria melhor colocar isso no ''ponto de vista'' ?

-------------
Ex-Moderador: Nov. 2009/Fev. 2012


Postado Por: Larry Mullen
Data de Publicação: 05/11/09 as 03:35
Originalmente postado por Vini Ulrich Vini Ulrich escreveu:

Uma pergunta off, não seria melhor colocar isso no ''ponto de vista'' ?


Acho que não. porque o Ponto de Vista é mais voltado pra pessoa que usou o produto e quer dar a sua opinião, como um review. Aqui o que fizemos foi dar informações sobre a marca, eu pelo menos não tenho uma Sonor.


-------------
U2 theknutz.com



Imprimir Página | Fechar Janela